Suspeita recaía sobre uma festa para 5 mil pessoas

A polícia italiana foi acionada na noite de Ano Novo para investigar uma denúncia de suspeita de terrorismo em um hotel da periferia de Milão, informou a imprensa local nesta terça-feira (9).

Na noite de 31 de dezembro, o funcionário de um hotel telefonou para a polícia para relatar que um jovem marroquino havia reservado pela internet uma suíte para três pessoas, do dia 29 ao dia 1.

O pagamento foi feito de maneira antecipada, no valor total de 700 euros, mas os hóspedes não apareceram para o check-in.

Além disso, diante do hotel, estava sendo organizada uma festa de réveillon para cinco mil pessoas.

Enquanto os pontos turísticos de Milão já estavam lotados de turistas para as celebrações na Praça do Duomo, a polícia iniciou a investigação da denúncia e descobriu que o hóspede responsável pela reserva mantivera contato com outro marroquino preso na França em 2016, sob acusação de participar de uma célula terrorista e planejar um atentado.

A informação sobre o episódio no hotel de Milão foi repassada para as autoridades de Roma e para agentes nacionais de alto escalão, de acordo com o jornal “Corriere della Sera”.

A Promotoria de Milão abriu um inquérito, mas a polícia garante que não há riscos de atentados no momento. (ANSA)