A eleição ocorreu durante uma assembleia do PD em Roma, com mais de dois mil participantes, e que culminou com a vitória de Zingaretti

O ex-premier e ex-chanceler italiano Paolo Gentiloni, por sua vez, foi eleito presidente do PD. “O objetivo é voltar a vencer”, disse Gentiloni, agradecendo a eleição e se referindo ao fato de seu nome ter conseguido unir as alas divididas do partido.

Já Zingaretti sugeriu mudanças no partido, entre elas a valorização do ser humano. “Devemos colocar as pessoas no centro [da política], como fizeram os jovens que saíram às ruas [na semana passada] contra as mudanças climáticas. É preciso mais reformismo para enfrentar o futuro”, defendeu. Ele também anunciou quatro pilares que deverão guiar as atividades do PD de agora em diante: melhorias na infraestrutura da Itália, política ambiental que permita o desenvolvimento sustentável, investimento no sistema de ensino e, por fim, promoção da saúde e do bem-estar.

“Devemos mudar tudo. Penso em um partido aberto e pluralista, aperto à civilidade e ao voluntariado”, pediu o novo secretário.

(IstoÉ)