O governador do Lazio, Nicola Zingaretti, foi eleito no último domingo (3) como novo secretário do Partido Democrático (PD), principal legenda de centro-esquerda e de oposição na Itália. 

Zingaretti, 53 anos, confirmou o favoritismo e obteve mais de 65% dos votos – os resultados definitivos serão divulgados ainda nesta segunda-feira (4) -, superando o secretário interino e ex-ministro de Políticas Agrícolas Maurizio Martina (pouco mais de 20%) e o deputado Roberto Giachetti (cerca de 10%).   

Governador do Lazio, segunda região mais populosa da Itália, desde março de 2013, Zingaretti tem pela frente o desafio de guiar o PD nas eleições para o Parlamento Europeu do próximo mês de maio e de conter a debandada de eleitores da centro-esquerda no país.   

“Eu não me entendo como chefe, mas sim como líder de uma comunidade em campo para mudar a história da democracia italiana”, declarou Zingaretti em seu discurso de vitória, prevendo uma volta dos “desiludidos” para as hostes da legenda.   

“Muitos retornaram, estão voltando e retornarão ao novo PD, um novo campo unitário e combativo para virar a página nesse país”, declarou, em referência aos eleitores de esquerda decepcionados com a aliança entre o antissistema Movimento 5 Estrelas (M5S) e a ultranacionalista Liga no governo.   

O governador recebeu os parabéns do ex-primeiro-ministro Matteo Renzi, que se manteve afastado das eleições no PD, mas ainda é considerado seu principal cacique. “A vitória de Zingaretti é bela e clara. Agora chega de fogo amigo, os adversários não estão em casa, mas sim no governo”, escreveu o ex-premier no Twitter.   

Segundo estimativas preliminares, cerca de 1,7 milhão de eleitores compareceram às urnas, resultado acima das expectativas, mas ainda assim o pior número da história do PD.   

Espera-se que Zingaretti consiga agora atrair dissidentes de esquerda que abandonaram o partido durante a gestão Renzi. (Isto é)