Woody Allen estreará no próximo sábado no Scala de Milão, templo da música lírica italiana, com sua adaptação da ópera cômica “Gianni Schicchi”, de Giacomo Puccini, segundo informou a instituição

O cineasta americano recorrerá aos alunos da Academia do Scala para representar esta obra que já apresentou em Los Angeles em 2015, uma comédia de um ato criada por Puccini em 1917 e que agora chega aos palcos deste templo italiano.

No entanto, desta vez, a obra chega com um final diferente, mudado pelo diretor, segundo assegurou ele mesmo, sem revelar em que consistirá esta modificação.

À frente da orquestra estará o diretor húngaro Adam Fischer, enquanto o protagonista será o barítono italiano Ambrogio Maestri, no papel de Gianni Schicchi, um personagem da Florença medieval que acaba no Inferno recriado por Dante.

A obra será representada em seis ocasiões a partir do próximo sábado e até o dia 19 de julho e dividirá sessões com uma ópera de Antonio Salieri.

“O que gosto é que é uma obra breve e cômica porque acredito que não seria capaz de dirigir uma ópera completa. Dura só uma hora e senti que poderia tentar. É uma peça divertida e me sinto mais confortável fazendo algo cômico”, declarou Allen em um vídeo do Scala.

Em um momento em que sua imagem ainda está ofuscada por antigas acusações de abuso sexual, o diretor declarou na apresentação da sua obra que se inspirou no neorrealismo italiano e reconheceu que seu cinema sempre foi especialmente admirado na Europa.

“Tenho 50 anos de carreira, mas por alguma razão que desconheço sempre senti muito afeto, muita recepção positiva na Europa. Mesmo quando as minhas obras não foram tão bem recebidas, foram um sucesso em França, Itália e Alemanha. Talvez seja porque sempre fui um grande admirador da cinematografia europeia”, comentou Allen.

Após esta experiência nos tablados milaneses, o diretor irá para a cidade espanhola de San Sebastián para rodar sequências de seu próximo filme.

(Com informações da EFE)