BIANUAL

BIANUAL

A partir de
Por R$ 299,00

ASSINAR
ANUAL

ANUAL

A partir de
Por R$ 178,00

ASSINAR
ANUAL ONLINE

ANUAL ONLINE

A partir de
Por R$ 99,00

ASSINAR


Mosaico Italiano é o melhor caderno de literatura italiana, realizado com a participação dos maiores nomes da linguística italiana e a colaboração de universidades brasileiras e italianas.


DOWNLOAD MOSAICO

Baixe nosso aplicativo nas lojas oficiais:

Início » Vaticano critica Justiça autorizar por eutanásia

Vaticano critica Justiça autorizar por eutanásia

14 de novembro de 2008 - Por Comunità Italiana
O Vaticano criticou a decisão da Justiça italiana de conceder o direito ao pai de Eluana Englaro de pedir o desligamento da sonda que alimenta a paciente, que está em coma vegetativo há 16 anos.
   
Em entrevista à Rádio Vaticano, o monsenhor Rino Fisichella, presidente da Pontificia Accademia della Vita, classificou a decisão como "um fato gravíssimo".
   
"Para mim, é grave do ponto de vista ético e moral. Talvez possamos encontrar as justificativas nos trâmites processuais e nas interpretações da linguagem", critica o religioso. "Permanece um fato grave e estranho à cultura do povo italiano, um fato de gravidade absoluta no que se refere a um atentado à vida".
   
O religioso declarou ainda que é preciso "formular uma lei para que seja evitada qualquer experiência da eutanásia passiva ou ativa no país", declarou Fisichella.
   
O deputado Luca Volonté, da aliança democrata-cristã UDC, é da mesma opinião. Para ele trata-se do "primeiro homicídio de Estado em nome do povo italiano".
   
"O silêncio das mais altas instituições é grave e preocupante, assim como a falta de ações concretas por parte do governo", posicionou-se o parlamentar, ressaltando que o legislativo agora tem o dever de "aprovar normas que impeçam sentenças bárbaras e homicídios como aqueles que aconteceram nos últimos anos por parte de uma certa magistratura militar".
   
Para a senadora Laura Bianconi, da coalizão conservadora Povo da Liberdade, a decisão judicial é inaceitável. "Esta é a demonstração de que a Justiça quer decidir também quando e como devemos morrer", acusou.
   
"Agora, os apoiadores da eutanásia podem cantar vitória. Eu, ao invés, sofro ao saber que Eluana morrerá de fome e sede com um grandíssimo sofrimento, e isso só porque os juízes declararam-na indigna de viver", atacou a senadora.
   
Em julho deste ano, o pai de Eluana, Beppino Englaro, obteve um parecer inédito da Corte de Apelações de Milão que autorizava a desconexão da sonda que alimenta e hidrata a paciente.
   
Em seguida, a decisão judicial esteve bloqueada por um recurso apresentado pela promotoria, que foi hoje rejeitado em última instância pela Justiça italiana, devolvendo a validade da autorização anterior para interromper a manutenção da vida de Eluana.
 
 
 
Fonte: Ansa

Comunità Italiana

A revista ComunitàItaliana é a mídia nascida em março de 1994 como ligação entre Itália e Brasil.

Leia também outras matérias da nossa revista.



Comentários

Leia agora a edição 294

ENQUETE

Governo Lula completa um mês. Até o momento acha que está no caminho certo?

Ver resultados

Carregando ... Carregando ...

NOSSO E-BOOK GRÁTIS

SIGA NAS REDES

HORA E CLIMA EM ROMA

  • 10h08
fique por dentro

Não perca
nenhuma
notícia.

Cadastra-se na nossa ferramenta e receba diretamente no seu WhatsApp as últimas notícias da comunidade.