Nova taxa entra em vigor em 1º de julho de 2020

A partir de 1º de julho de 2020, os turistas terão de pagar uma taxa de até oito euros, o equivalente a R$ 36 pela cotação atual, para entrar no centro histórico de Veneza.

Os valores foram estabelecidos nesta quinta-feira (24) pela Câmara Municipal, que aprovou o novo regulamento da Prefeitura para combater o turismo de massa na cidade.

A taxa será de três euros (R$ 13) nos dias comuns; seis euros (R$ 27) nos dias de “selo vermelho”, ou seja, quando é previsto um “fluxo crítico” de pessoas; e oito euros no dias de “selo preto”, quando é previsto um “fluxo crítico excepcional” de turistas.

Em 2021, esses valores subirão para seis, oito e 10 euros (R$ 45), respectivamente, e será criada uma taxa de três euros para os raros dias de “selo verde”, com baixo fluxo de viajantes. O calendário de selos será divulgado previamente pela Prefeitura.

Já turistas que chegarem em navios de cruzeiro pagarão uma tarifa fixa de cinco euros (R$ 27,50) em 2020 e de sete euros (R$ 31) a partir de 2021. As multas para quem burlar os controles serão de 100 a 450 euros (R$ 446 a R$ 2 mil).

A cobrança é voltada a pessoas que visitarem o centro histórico de Veneza e as ilhas da cidade, como Murano e Burano, mas sem pernoitar nessas regiões.

Aqueles que dormem na área da Lagoa de Veneza já pagam a “tassa di soggiorno”, que varia de um a cinco euros por diária. Por outro lado, adeptos do chamado “bate e volta” hoje não arcam com nenhuma taxa para entrar no superlotado centro histórico da cidade.

Ao todo, 22 categorias serão isentas, como moradores da região do Vêneto, pessoas em busca de tratamento médico, deficientes físicos, trabalhadores pendulares e estudantes.

A Prefeitura pretende desenvolver nos primeiros meses de 2020 um sistema para solicitação de isenção e outro para fazer a arrecadação da taxa online. Também haverá postos de cobrança em terra firme e nas províncias vizinhas a Veneza. (com dados da Ansa)