Paralisação que estava marcada para começar em 18 de outubro é cancelada pelos funcionários da histórica casa de óperas de Milão

A greve havia sido anunciada no início desta semana, em função da não aprovação de um acordo para aumentar o valor das diárias pagas aos músicos em turnês no exterior. O pacto havia sido firmado pelos sindicatos e pela direção do teatro em maio passado, mas não foi ratificado pelo conselho de administração.

No entanto, em uma reunião nesta sexta-feira (4), os funcionários e o superintendente do Scala, Alexander Pereira, concordaram em pedir ao ministro dos Bens Culturais da Itália, Dario Franceschini, a inserção de um artigo na próxima Lei Orçamentária para permitir o reajuste das diárias, que só podem ser mudadas por iniciativa parlamentar.

“Não queremos abrir uma guerra com ninguém”, disse o sindicalista Paolo Puglisi, da Confederação-Geral Italiana do Trabalho (Cgil). “Mas a questão não está fechada e pode ser retomada à luz de futuras modificações”, afirma um comunicado dos sindicatos.

Os valores das diárias estão congelados desde 2001 e, segundo os sindicatos, não permitem cobrir despesas básicas em cidades como Xangai, onde a orquestra do Scala tem agendada uma turnê entre 18 e 22 de outubro. (Com informações da ANSA)