BIANUAL

BIANUAL

A partir de
Por R$ 299,00

ASSINAR
ANUAL

ANUAL

A partir de
Por R$ 178,00

ASSINAR
ANUAL ONLINE

ANUAL ONLINE

A partir de
Por R$ 99,00

ASSINAR


Mosaico Italiano é o melhor caderno de literatura italiana, realizado com a participação dos maiores nomes da linguística italiana e a colaboração de universidades brasileiras e italianas.


DOWNLOAD MOSAICO

Baixe nosso aplicativo nas lojas oficiais:

‘Sardinhas’ levam multidão às ruas de Turim contra fascismo

11 de dezembro de 2019 - Por Comunità Italiana
‘Sardinhas’ levam multidão às ruas de Turim contra fascismo

Ato foi marcado por polêmica com grupo neofascista italiano

O movimento das “sardinhas”, iniciativa apartidária criada para tentar frear a ascensão de Matteo Salvini na Itália, levou uma multidão às ruas de Turim na noite desta terça-feira (10) em um ato contra o fascismo.

De acordo com os organizadores, o evento reuniu cerca de 40 mil pessoas contra o populismo e a política de ódio, sem bandeiras ou símbolos. O ato foi agendado para coincidir com a visita do líder do partido de extrema-direita Liga Norte na capital piemontesa.

O protesto teve início com uma versão silenciosa de “Bella Ciao”, música símbolo da resistência italiana contra o nazifascismo, em homenagem “a todas as vítimas de violência que não sabiam falar” e também contou com uma iniciativa de troca espontânea de livros.

A manifestação ainda ficou marcada por uma possível aproximação das sardinhas e do partido neofascista italiano CasaPound, que declarou seu desejo de participar do ato na Piazza San Giovanni, em Roma, previsto para o próximo dia 14 de dezembro.

Em entrevista ao jornal “Fatto Quotidiano, Stephen Ogongo, líder romano do movimento de rua, por sua vez, chegou a afirmar que o ato na capital italiana é aberto a todos, mesmo para os militantes da extrema-direita. “As sardinhas nos convidam para a praça? Vamos, mas certamente não vamos cantar Bella Ciao”, escreveu Simone Di Stefano, líder da CasaPound, em sua conta no Twitter.

A declaração, no entanto, provocou polêmica entre os sardinhas já que o grupo se declara antifascista. Em nota oficial, a liderança geral do movimento afirmou que “não há abertura para a CasaPound ou Forza Nuova. Nem agora, nem nunca”.

A mobilização das “Sardinhas” surgiu em meados de novembro, como um flash mob contra a campanha de Salvini para eleger sua candidata a governadora da Emília-Romagna, um histórico feudo da esquerda italiana, nas eleições regionais de 26 de janeiro.

Desde então, o movimento se espalhou por regiões de norte a sul do país, lotando praças e ruas. Hoje, o secretário de Estado do Vaticano, o cardeal Pietro Parolin, falou sobre o ato da noite passada.

“Não sou sardinha. Acredito que é importante entender tudo o que é bom mesmo nesses movimentos e tentar valorizá-lo sempre para o bem do país. Espero que eles enfatizem especialmente as pressões positivas”, afirmou o religioso.

Os próximos atos organizados pelos sardinhas estão agendados em Forlì (12/12), Veneza (13/12) e Roma (14/12). (Ansa)

Comunità Italiana

A revista ComunitàItaliana é a mídia nascida em março de 1994 como ligação entre Itália e Brasil.

Leia também outras matérias da nossa revista.



Comentários
Array
(
    [0] => WP_Term Object
        (
            [term_id] => 991
            [name] => fascismo
            [slug] => fascismo
            [term_group] => 0
            [term_taxonomy_id] => 991
            [taxonomy] => post_tag
            [description] => 
            [parent] => 0
            [count] => 8
            [filter] => raw
        )

    [1] => WP_Term Object
        (
            [term_id] => 6284
            [name] => Sardinhas
            [slug] => sardinhas
            [term_group] => 0
            [term_taxonomy_id] => 6284
            [taxonomy] => post_tag
            [description] => 
            [parent] => 0
            [count] => 4
            [filter] => raw
        )

    [2] => WP_Term Object
        (
            [term_id] => 348
            [name] => turim
            [slug] => turim
            [term_group] => 0
            [term_taxonomy_id] => 348
            [taxonomy] => post_tag
            [description] => 
            [parent] => 0
            [count] => 55
            [filter] => raw
        )

)

ENQUETE

A farmacêutica AstraZeneca afirma que mesmo com a pausa nos testes a vacina contra Covid-19 deve ficar pronta neste ano. Você acha que a população do seu País deve ser obrigada a se vacinar?

Ver resultados

Carregando ... Carregando ...

NOSSO E-BOOK GRÁTIS

SIGA NAS REDES

HORA E CLIMA EM ROMA

  • 17h36
fique por dentro

Não perca
nenhuma
notícia.

Cadastra-se na nossa ferramenta e receba diretamente no seu WhatsApp as últimas notícias da comunidade.