Neste sábado (6), o vice-premier e ministro do Interior da Itália, Matteo Salvini, declarou que o governo está trabalhando para realizar um “forte corte de impostos no próximo ano” para os que vivem no país.

Em coletiva de imprensa durante visita ao Villaggio Coldiretti, no centro de Milão, Salvini afirmou que a declaração diz respeito a produtores e famílias italianas. Ele ressaltou que está pronto para discutir a proposta com a Comissão Europeia, que, no início desta semana, decidiu não recomendar a abertura de um procedimento de infração contra a Itália por violação das normas fiscais do bloco.

Apesar da promessa, o governo italiano terá que permanecer dentro do escopo indicado na carta enviada à UE pelo primeiro-ministro Giuseppe Conte e pelo ministro da Economia, Giovanni Tria.   

“Será uma boa comparação com a Europa. Eu não digo confronto, mas estejam preparados. Estou pronto, tenho paciência de pescador. Prepare-se para algumas semanas de discussão: se eles nos fizerem sorrir, faremos isso, caso contrário, faremos o mesmo”, acrescentou o ministro italiano.

Recentemente, Conte já havia informado que o governo está trabalhando para realizar uma ampla reforma tributária. Além disso, no último dia 28 de maio, Salvini declarou que concluiu a proposta da chamada “flat tax”, que criará uma alíquota única para o imposto de renda. A medida é um dos pilares do programa de governo da ultranacionalista Liga, mas enfrenta resistência de seu aliado de governo, o antissistema Movimento 5 Estrelas (M5S), que teme que o projeto aumente o abismo entre o rico norte e o empobrecido sul da Itália.