Vice-primeiro ministro italiano esteve na sexta-feira (12) no Senado para responder a acusações de que a Liga teria recebido verbas do governo russo

O vice-primeiro-ministro da Itália, Matteo Salvini, afirmou na sexta-feira (12) que não vê “nenhum problema” em uma possível investigação sobre seu partido, o ultradireitista Liga, por supostamente ter recebido dinheiro da Rússia.

“Não tenho nenhum problema com a formação de comissões de investigação sobre o financiamento de partidos. Podemos fazer até sete ou oito, não temos nada a esconder”, declarou o político.

A Promotoria de Milão investiga se a Liga tentou obter ou obteve dinheiro por parte da Rússia, como foi veiculado em alguns jornais e portais de notícias. O primeiro a publicar essa informação foi o jornal “L’Espresso”, seguido pelo portal “Buzzfeed”, que além disso apresentou gravações de áudio nas quais é possível ouvir um colaborador de Salvini falando com supostos funcionários do Kremlin.

Na gravação, um homem identificado como Gianluca Savoini, um colaborador do ministro, negocia com os russos para fazer com que a Liga receba de 65 milhões de euros (cerca de R$ 277 milhões) para custear a campanha eleitoral das últimas eleições para o Parlamento Europeu.

O encontro aconteceu supostamente em 18 de outubro, durante uma visita oficial de Salvini a Moscou. O vice-premiê, ministro do Interior e também presidente da Liga nunca escondeu a admiração pelo presidente da Rússia, Vladimir Putin, e sua postura a favor de acabar com as sanções europeias ao país.

A Liga desmentiu estas informações e assegurou que a associação “Lombardia Russia”, presidida por Savoini, “não tem nada a ver” com o partido do ministro e “nunca fez parte das delegações oficiais” de Salvini a Moscou.

No entanto, veículos de imprensa publicaram fotos que mostram Savoini em todas as viagens de Salvini à Rússia nos últimos anos, inclusive antes de chegar ao governo.

O jornal “La Repubblica”, do grupo editorial de “L’Espresso”, recuperou hoje uma foto tuitada por Salvini de um encontro com o ministro do Interior russo, Vladimir Kolokoltsev, em 16 de julho de 2018, na qual aparece com Savoini.

O próprio Savoini também participou do jantar que o governo italiano, liderado pela Liga e o partido aliado Movimento Cinco Estrelas, ofereceram no último dia 4 em Roma a Putin.

O primeiro-ministro Giuseppe Conte garantiu hoje que não conhece e nem se reuniu com Savoini e explicou que pediu explicações de sua presença naquela ocasião.

Já o Kremlin se manifestou com relação às notícias e negou categoricamente hoje ter tido conversas sobre um suposto financiamento da Liga.

“Nos chamou realmente a atenção a publicação destas conversas. Na nossa opinião é estranho que tenham feito tanto barulho por isso. Só podemos expressar nossa surpresa”, afirmou à agência russa “Tass” o porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov.

O representante do presidente russo acrescentou que jamais nenhum partido ou político italiano recebeu dinheiro da Rússia, direta ou indiretamente.

(Com informações da EFE)