Para ele, a autoridade monetária da UE está criando instabilidade

O vice-primeiro-ministro italiano, Matteo Salvini, acusou nesta terça-feira o Banco Central Europeu de prejudicar o sistema bancário italiano, dizendo que o pedido da autoridade monetária para que os bancos locais deixem mais dinheiro para cobrir empréstimos não pagos pode custar ao país cerca de 15 bilhões de euros.

Salvini, que lidera a Liga, de extrema direita, disse em um comunicado que a decisão do BCE mostrou que a autoridade monetária da UE está criando instabilidade e disse que é necessário ter mais transparência para acabar com qualquer suspeita de que o banco central tenha motivação política.

Mais cedo nesta terça-feira, uma fonte disse à Reuters que o BCE determinou uma data para que os bancos provisionem todas as suas dívidas não pagas, as existentes e novas. A medida surpreendeu alguns investidores e particularmente assustou os bancos italianos, já que muitos esperavam que o BCE fosse ser mais flexível. (Reuters)