Início » Lombardia formaliza pedido de estado de emergência por mau tempo; sul da Itália sofre com onda de calor

Lombardia formaliza pedido de estado de emergência por mau tempo; sul da Itália sofre com onda de calor

26 de julho de 2023 - Por Comunità Italiana
Lombardia formaliza pedido de estado de emergência por mau tempo; sul da Itália sofre com onda de calor

O governador da Lombardia, Attilio Fontana, formalizou na terça-feira (25) o pedido para o gabinete da premiê Giorgia Meloni declarar estado de emergência na região, que já contabiliza duas vítimas na atual onda de mau tempo. Segundo Fontana, a Lombardia soma 41,4 milhões de euros (R$ 217 milhões) em danos por tempestades e vendavais desde o início do mês, sendo 24,7 milhões para o setor público e 16,7 milhões para o setor privado, mas a estimativa ainda não inclui os últimos dias. O próprio governo regional calcula que o valor pode ultrapassar os 100 milhões de euros (R$ 524 milhões).

Desde segunda-feira (24), a região vem registrando temporais, chuvas de granizo e ventos de mais de 100 quilômetros por hora, inclusive com a formação de tornados.

Pelo menos duas pessoas morreram atingidas pelas quedas de árvores: uma mulher de 58 anos em Lissone, na segunda, e uma adolescente de 16 em um acampamento de escoteiros em Corteno Golgi, nesta terça.

“Tendo em vista os eventos meteorológicos atualmente em curso, a estimativa dos danos prosseguirá nos próximos dias e, infelizmente, está destinada a aumentar”, ressaltou Fontana.

Além da onda de mau tempo no norte, a Itália enfrenta um calor tórrido no sul, com diversos incêndios na ilha da Sicília.

Um incêndio atingiu uma área do parque arqueológico do Templo de Segesta, antiga estrutura dórica datada do século 5 a.C e situada na ilha italiana. Apesar da região ter sido palco de diversos focos de incêndios por conta do calor, as autoridades locais, no entanto, suspeitam que este foi provocado em um ato criminoso.

“As chamas não pouparam nem o Parque Arqueológico de Segesta. Felizmente, foi possível verificar por um levantamento inicial que não houve danos aos sítios monumentais: o templo, o teatro e a casa dos Navarca permaneceram ilesos”, afirmou o governador Renato Schifani.

Segundo ele, “ao que tudo indica, o incêndio foi provocado por mão criminosa e trata-se de um ato gravíssimo que deve ser fortemente condenado, pois colocou em risco a segurança de quem mora nas áreas vizinhas e causou graves danos ao nosso inestimável patrimônio histórico e artístico”.

“Espero que os responsáveis possam ser localizados o mais rápido possível”, acrescentou Schifani.

O assessor de Patrimônio Cultura e Identidade Siciliana, Francesco Paolo Scarpinato, explicou ainda que “graças a um planejamento cuidadoso e aos trabalhos recentes de limpeza”, o pior foi evitado.

“Por outro lado, o posto de abastecimento, a guarita e o armazém junto ao templo, o quarteirão dos banheiros perto do antiquário e a marquise das casas rochosas foram totalmente destruídos”, lamentou.

Além disso, “quase toda cerca de proteção da estrada de acesso ao teatro e as barreiras de segurança foram reduzidas a cinzas, assim como os cabos elétricos e luminárias próximas ao teatro”.

De acordo com Scarpinato, haverá um “novo e cuidadoso reconhecimento dos danos” na tentativa de “assegurar os percursos de visita e não comprometer a próxima temporada teatral”.

Também chamado de “Templo Grande”, o edifício foi construído no fim do século 5 a.C., em uma colina a oeste da cidade de Segesta, e conta com 36 colunas de 10 metros de altura.

Ainda na Sicília, as autoridades italianas encontraram na tarde de terça dois corpos carbonizados em uma pequena casa na cidade de Cinisi.

Até o momento, as vítimas não foram identificadas, mas teriam aproximadamente entre 75 e 77 anos de idade. Acredita-se que a casa em condições muito precárias, localizada na via Fondo Orsa, próximo do aeroporto local, foi atingida pela chamas que afetam a região há horas.

Mais cedo, a Defesa Civil informou também que cerca de 2 mil hóspedes de três hotéis em Vieste foram evacuados devido ao incêndio de grandes proporções que eclodiu em Baia di San Felice Vieste.

Os turistas tiveram que deixar o Residence Gattarella, o Hotel Portonovo e o Hotel Gargano para se dirigirem a um ginásio no centro de Vieste, onde a prefeitura local estruturou para o grupo pernoitar “caso não possam regressar aos complexos”, informou o prefeito Giuseppe Nobiletti.

A situação é complexa na região porque as chamas estão sendo alimentadas pelo vento forte. Os carabineiros florestais, os bombeiros e a Defesa Civil trabalham para tentar conter o fogo.

Já em Altofonte, uma cidade a 12 quilômetros de Palermo, cerca de mil pessoas foram evacuadas de suas residências por causa dos incêndios. As famílias foram acolhidas em uma área da piazzale Francia.

No entanto, a Defesa Civil explicou que as chamas que afetam toda a área montanhosa periférica de Palermo estão sendo controladas. Helicópteros e aeronaves canadairs do Departamento Nacional estão extinguindo o fogo mais intenso, apesar do vento e da turbulência.

Já em Palermo, capital da região, o aeroporto chegou a ficar fechado durante a manhã de ontem por causa das chamas, e um pavilhão do Hospital Cervello foi evacuado brevemente devido ao ar irrespirável.

Também em Palermo, uma idosa de 88 anos morreu porque o serviço de emergência, em função dos incêndios, não conseguiu chegar a tempo para prestar socorro à vítima, que precisava de atendimento médico.

As áreas mais afetadas de Palermo são Altofonte, área de Baita, Ciaculli, Mondello, Tommaso Natale, Capo Gallo, Pizzo Sella, depois Borgetto, Terrasini, Poggio Ridente, Capaci, área de Le Roy Merlin e Isola delle Femmine. 

Já na Calábria, região vizinha à Sicília, um homem de 98 anos morreu por causa das chamas que atingem colinas nos arredores de Reggio Calabria.

Segundo o ministro da Defesa Civil, Nello Musumeci, a Itália vive hoje “um dos dias mais complicados das últimas décadas”. “A convulsão climática exige de todos nós uma mudança de rota, sem álibis para ninguém, mas hoje vamos nos concentrar em conter os danos”, declarou.

De acordo com Musumeci, o momento é “dramático”. “Devemos tentar salvar o que pode ser salvo”, disse. (com dados da Ansa)

Comunità Italiana

A revista ComunitàItaliana é a mídia nascida em março de 1994 como ligação entre Itália e Brasil.

Leia também outras matérias da nossa revista.



Comentários

ENQUETE

Loading poll ...

NOSSO E-BOOK GRÁTIS

SIGA NAS REDES

HORA E CLIMA EM ROMA

  • Sun Cloud
  • 13h29
fique por dentro

Não perca
nenhuma
notícia.

Cadastra-se na nossa ferramenta e receba diretamente no seu WhatsApp as últimas notícias da comunidade.