A cargo do consórcio PerGenova, formado pela estatal Fincantieri e pela construtora privada Salini Impreglio, a obra de reconstrução da Ponte Morandi teve início na segunda-feira (15) e deve durar 12 meses.

Os trabalhos em Gênova para reconstruir o viaduto que desabou em 14 de agosto de 2018 e matou 43 pessoas tiveram início com a instalação da primeira das 11 colunas que sustentarão as fundações de um dos pilares da nova ponte.

Já o projeto foi feito pelo arquiteto e senador vitalício Renzo Piano. O valor da reconstrução é estimado em 200 milhões de euros.

“As operações serão realizadas por uma equipe altamente especializada, para devolver aos cidadãos e ao país o quanto antes uma infraestrutura tão essencial”, disse o presidente do consórcio, Alberto Maestrini.

Inaugurada em 1967, a Ponte Morandi havia sido construída por meio de um método desenvolvido pelo engenheiro italiano Riccardo Morandi e usado em poucos lugares do mundo. O sistema é baseado em uma ponte estaiada, mas com as pistas suspensas por cabos de concreto, e não de aço, como é mais comum.

As causas do desabamento ainda estão sob investigação, mas suspeita-se de falha estrutural.