Líderes também debateram situação na Ucrânia e guerra comercial

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, se reuniu nesta quinta-feira (4) com o primeiro-ministro italiano, Giuseppe Conte, na Itália, para conversar sobre a relação bilateral e as crises na Líbia e Ucrânia.

Durante coletiva de imprensa no Palazzo Chigi, em Roma, os dois líderes destacaram a necessidade de “apoiar o papel da ONU e trabalhar para um cessar-fogo” no território líbio.

A Líbia enfrenta disputas entre as forças do general Khalifa Haftar e do primeiro-ministro Fayez al Sarraj. Por sua vez, a Itália, antiga metrópole da Líbia, presta apoio ao governo de união nacional chefiado pelo premier.

“Precisamos de um processo inclusivo para atingir o objetivo de disposição imediata das hostilidades e a estabilização da Líbia”, afirmou o premier da Itália.   

De acordo com Putin, “a situação continua perigosa”, justamente por isso é preciso “assegurar que o regime de cessar-fogo seja estabelecido”. Além disso, ele defendeu que o “processo político deve ser restabelecido com o objetivo final de evitar a divisão no país”.   

“Nós apoiamos ambas as relações com Fayez Sarraj e aquelas com Khalifa Haftaar”, disse Putin, ressaltando que uma decisão da OTAN destruiu a estabilidade da Líbia.   

“Observamos o caos e a luta entre vários grupos paramilitares. Não devemos tomar um papel estabilizador da situação, devemos perguntar àqueles que se deterioraram”, acrescentou o russo.

Para Conte, Moscou tem um papel importante para “encontrar soluções nas principais crises regionais”. No entanto na reunião com Putin, eles concordaram que “essas soluções devem ser políticas para serem sustentáveis”. “A opção militar não leva a lugar nenhum”.   

Crise na Ucrânia

O premier italiano e o líder russo reforçaram que esta “é uma questão a ser resolvida o mais breve possível”. Para eles, a eleição do novo presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, na busca por uma solução para a crise no país “abre uma janela de oportunidade que esperamos que seja explorada”.

Guerra Comercial China-EUA

O presidente da Rússia e o primeiro-ministro da Itália ainda discutiram sobre a guerra comercial entre os Estados Unidos e a China sublinhando “a posição flexível” dos chineses sobre o tema.   

“Queremos um acordo que seja aceitável entre a China e os EUA. Caso contrário, toda a economia irá perder. Devemos fazer tudo o que pudermos para garantir que os acordos sejam alcançados e as limitações unilaterais sejam removidas”, finalizou Putin.