Início » Procuradoria pede 13 anos de prisão para dono da Parmalat

Procuradoria pede 13 anos de prisão para dono da Parmalat

07 de outubro de 2008 - Por Comunità Italiana
A Procuradoria de Milão pediu 13 anos de prisão para o ex-dono da Parmalat, Calisto Tanzi, pela quebra da empresa, solicitando ainda que não fosse concedido ao acusado nenhum tipo de atenuante.
   
O pedido foi formulado pelo procurador Eugenio Fusco, que conduziu as investigações junto com Francesco Greco e Carlo Nocerino. Tanzi é acusado de agiotagem, de obstáculo à atividade dos órgãos de vigilância e de falsificação do balanço da empresa.
   
A Procuradoria também pediu mais três anos e meio de prisão para o ex-responsável pela Parmalat na Venezuela, Giovanni Bonici, e para Antonio Luzi, ex-credor do banco Bank of America.
   
Para o ex-conselheiro independente do grupo, Enrico Barachini, a pena pode ser de até quatro anos, enquanto o ex-gerente do Bank of America, Luca Sala, pode ser condenado a seis anos de reclusão.
   
Em relação à empresa de auditoria internacional, Italaudit, envolvida no processo, a pena pedida foi de 300 mil euros, além do confisco de 600 mil euros.
 
 
 
Fonte: Ansa

Comunità Italiana

A revista ComunitàItaliana é a mídia nascida em março de 1994 como ligação entre Itália e Brasil.

Leia também outras matérias da nossa revista.



Comentários

Leia agora a edição 309

Do céu ao coração

ENQUETE

Loading poll ...

NOSSO E-BOOK GRÁTIS

SIGA NAS REDES

HORA E CLIMA EM ROMA

  • Sun Cloud
  • 04h04
fique por dentro

Não perca
nenhuma
notícia.

Cadastra-se na nossa ferramenta e receba diretamente no seu WhatsApp as últimas notícias da comunidade.