O Cônsul-Geral da Itália no Rio de Janeiro, Paolo Miraglia, se reuniu nesta quarta-feira (4), com o prefeito de Niterói, Rodrigo Neves, e secretários para apresentar possibilidades de parcerias e promoções de eventos italianos na cidade.

“É um prazer muito grande receber aqui no meu gabinete, na Prefeitura de Niterói, o Pietro Petraglia, representante da comunidade italiana no Rio de Janeiro, e também o cônsul da Itália no Rio, Paolo Miraglia. Eu tenho certeza que a partir desse nosso encontro nós teremos uma integração cada vez maior, um desenvolvimento de projetos culturais, educacionais, com a Itália, com o Consulado, divulgando a cultura italiana em Niterói”, comentou Rodrigo Neves, que também destacou a forte presença italiana na cidade.

Rodrigo Neves, Paolo Miraglia e Pietro Petraglia

Paolo Miraglia saiu otimista da reunião. “Eu quero agradecer muito o prefeito por sua calorosa recepção, tivemos uma reunião muito positiva. Estou certo de que podemos trabalhar juntos e desenvolver muitas iniciativas e projetos em cooperação com a Itália”, disse.

Em sua primeira visita oficial à Niterói, o cônsul fez questão de conhecer o Museu de Arte Contemporânea e conversar com o diretor, Marcelo Velloso, para saber o que pode ser programado para futuras exposições com artistas italianos.

Paolo Miraglia e Marcelo Velloso

O encontro foi acompanhado pelo empresário e editor Pietro Petraglia. “A cidade de Niterói acolheu ao longo da sua história muitos imigrantes italianos e muitos deles se destacaram na arquitetura, na medicina, nas artes, nos campos jurídicos e em todos os outros setores. Aqui residem mais de cinco mil italianos com passaporte e dezenas de milhares de descendentes. A nossa publicação, premiada revista que acaba de completar 25 anos de existência como o maior veículo voltado para os negócios bilaterais, se orgulha de ter sua sede em Niterói”, declara.

A cidade, que é sede da italiana Enel, maior distribuidora de energia do Brasil, também vem se destacando por programas qualificados na área da Educação e grandes obras de infraestrutura urbana. A gestão do atual prefeito tem sido vista como positiva segundo índices de pesquisas do município e tem ampla plataforma de segurança com o programa Niterói Presente e o monitoramento permanente das principais vias da cidade.

Niterói alcançou a sétima posição no Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) e ficou em primeiro lugar entre as cidades do Estado do Rio de Janeiro, de acordo com o censo.

A cidade tem como secretária de Fazenda a ítalo-brasileira Giovanna Guiotti Testa Victer, que incorporou ao seu modelo de gestão da secretaria muitos aspectos do conceito de capital social e sua aplicação nas políticas públicas desenvolvido pelo cientista político americano Robert David Putnam. Para este estudo comparou o sul com o norte da Itália a partir de uma explicação de natureza histórico-cultural com base no associativismo.

“Acho que o governo de Niterói tem muita sorte, porque a cidade encontra um ambiente parecido com o do norte da Itália. Tem muita associação aqui. Muito associativismo. A sociedade é muito agregadora. Ela forma capital onde a gente não enxerga como tangível. Reparo isso nas associações de moradores. Reparo isso em comunidades, como a italiana, que é muito forte”, explica a secretária de Fazenda.

Um dos principais pontos da atual gestão da Prefeitura de Niterói é o Fundo de Equalização de Receitas (FER), uma espécie de “poupança” para a qual são destinadas partes dos royalties do petróleo e de participações especiais do setor que cabem ao município.

A meta com a “poupança” é proteger a cidade das oscilações do mercado de petróleo ou quando esses recursos dos royalties e das participações especiais se extinguirem. O saldo da reserva especial até o final do ano deverá ultrapassar a meta inicial da prefeitura, que era de 200 milhões de reais, sobretudo devido aos próximos aportes previstos de agosto e novembro, que totalizam 49 milhões reais.