Com suspeitas de planejarem atentados terroristas no país, a polícia italiana prendeu nesta quarta-feira (17) o conterrâneo Giuseppe Frittitta, 25 anos, e o marroquino Ossamar Gafhir, 18, no norte da Itália

Segundo a denúncia, ambos queriam se juntar ao grupo Estado Islâmico (EI) na Síria e na Turquia.

Frittitta mantinha, inclusive, contato com uma jihadista americana que indicava os palcos das batalhas do EI na região. Ele teria conhecido Gafhir, o suposto responsável por sua radicalização, na internet. 

De acordo com o Ministério Público de Palermo, autor do inquérito, Frittitta e Gafhir estudavam táticas de guerrilha, materiais com instruções para combates e notícias sobre atentados suicidas. Ambos foram definidos como “lobos solitários” pelos magistrados e compartilhavam propagandas do EI na web.  

“A lei de Deus se aplica com a espada, é preciso ser cruel com os traidores e rebeldes”, disse Gafhir a Frittitta, em uma conversa interceptada pelos investigadores. Eles também chamavam outros muçulmanos de “bastardos traidores” e os acusavam de colaborar com a polícia.   

Ao contrário de Alemanha, Espanha, França e Reino Unido, a Itália ainda não sofreu nenhum atentado terrorista de inspiração jihadista.