BIANUAL

BIANUAL

A partir de
Por R$ 299,00

ASSINAR
ANUAL

ANUAL

A partir de
Por R$ 178,00

ASSINAR
ANUAL ONLINE

ANUAL ONLINE

A partir de
Por R$ 99,00

ASSINAR


Mosaico Italiano é o melhor caderno de literatura italiana, realizado com a participação dos maiores nomes da linguística italiana e a colaboração de universidades brasileiras e italianas.


DOWNLOAD MOSAICO

Baixe nosso aplicativo nas lojas oficiais:

Pesquisa de intenção de voto na Itália mostra empate técnico entre esquerda e direita

21 de julho de 2022 - Por Comunità Italiana
Pesquisa de intenção de voto na Itália mostra empate técnico entre esquerda e direita

Pela primeira vez em sua história republicana, a Itália terá eleições parlamentares no segundo semestre, em um pleito que pode premiar o único grande partido que fez oposição ao premiê Mario Draghi nos últimos 17 meses. A pesquisa de intenção de voto mais recente mostra a legenda de extrema direita Irmãos da Itália (FdI), liderada pela deputada Giorgia Meloni, com 23,8% da preferência, em situação de empate técnico com o Partido Democrático (PD), principal força de centro-esquerda no país, com 22,1%.

O levantamento foi realizado pelo instituto SWG com 1,2 mil eleitores entre 13 e 18 de julho, com margem de erro de 2,8 pontos percentuais para mais ou para menos.

Em terceiro lugar aparece a ultranacionalista Liga, de Matteo Salvini, com 14%, seguida pelo antissistema Movimento 5 Estrelas (M5S), com 11,2%, e pelo conservador Força Itália (FI), do ex-premiê Silvio Berlusconi, com 7,4%.

Esse cenário tem se repetido nas pesquisas ao longo dos últimos meses, com raras exceções em que o PD aparece numericamente à frente do FdI, porém sempre em empate técnico.

As eleições antecipadas de 25 de setembro devem provocar profundas mudanças no equilíbrio de forças no Parlamento, porém sem alterar o quadro de fragmentação partidária que marca a política italiana desde a década passada.

O mais afetado negativamente deve ser o M5S, que venceu o pleito de 2018 com cerca de 32% de votos, mas acabou penalizado por seus quatro anos de governo e hoje aparece apenas em quarto lugar nas pesquisas.

Ao longo da atual legislatura, o movimento governou tanto com a extrema direita quanto com a centro-esquerda e afastou, por um lado, os eleitores que viam no partido o surgimento de uma nova força progressista, e por outro, os que se encantaram por seu discurso antissistema e eurocético.

Para sacramentar sua era governista, o M5S ainda aceitou, em fevereiro de 2021, participar do gabinete de união nacional encabeçado por Mario Draghi, um símbolo do establishment europeu que o partido sempre jurou combater.

Essa inconstância provocou uma série de cisões no movimento, que perdeu dezenas de parlamentares e figuras históricas nos últimos anos, como o ministro das Relações Exteriores, Luigi Di Maio, que abandonou a sigla em junho por discordar de sua posição contrária ao envio de armas à Ucrânia.

Extrema direita

Para a Liga, as pesquisas mostram um cenário praticamente inalterado em relação a 2018, mas deixam o partido muito abaixo do pico de quase 35% que chegou a registrar em 2019, quando Salvini tentou forçar a convocação de eleições antecipadas para capitalizar essa popularidade.

A principal beneficiária da queda da Liga nas pesquisas é Giorgia Meloni, deputada que levou o FdI, herdeiro do extinto partido neofascista Movimento Social Italiano (MSI), ao posto de legenda política mais popular na Itália.

Em 2018, o FdI teve pouco mais de 4% dos votos, mas se as sondagens atuais se confirmarem, Meloni assumiria a liderança do campo conservador, que ainda inclui o cada vez menor Força Itália, e ganharia força para reivindicar o cargo de premiê e se tornar a primeira mulher a governar o país.

“Tenho as minhas ideias sobre como essa nação deve ser governada, sobre o que precisa ser feito, sobre qual deve ser sua estratégia industrial e seu posicionamento geopolítico”, disse Meloni durante um evento de seu partido em Roma.

De acordo com as pesquisas, a aliança formada por FdI, Liga e FI ficaria muito perto de obter maioria no Parlamento, o que evitaria o surgimento de governos de coalizão entre campos políticos adversários, como sempre ocorreu na atual legislatura.

Para o PD, que sob o comando do ex-premiê Enrico Letta parece se recuperar da derrota nas eleições de 2018, a esperança seria terminar em primeiro lugar e tentar formar um gabinete que englobe todo o campo moderado.

“Apostamos na força e na capacidade do PD de ser uma alternativa à direita soberanista”, escreveu o deputado de centro-esquerda Matteo Orfini, já explicitando quem o partido vai combater nas eleições de setembro. (com dados da Ansa)

Comunità Italiana

A revista ComunitàItaliana é a mídia nascida em março de 1994 como ligação entre Itália e Brasil.

Leia também outras matérias da nossa revista.



Comentários
Array
(
    [0] => WP_Term Object
        (
            [term_id] => 1819
            [name] => eleições
            [slug] => eleicoes
            [term_group] => 0
            [term_taxonomy_id] => 1819
            [taxonomy] => post_tag
            [description] => 
            [parent] => 0
            [count] => 56
            [filter] => raw
        )

    [1] => WP_Term Object
        (
            [term_id] => 3482
            [name] => Governo da Itália
            [slug] => governo-da-italia
            [term_group] => 0
            [term_taxonomy_id] => 3482
            [taxonomy] => post_tag
            [description] => 
            [parent] => 0
            [count] => 90
            [filter] => raw
        )

    [2] => WP_Term Object
        (
            [term_id] => 11839
            [name] => Instituto SWG
            [slug] => instituto-swg
            [term_group] => 0
            [term_taxonomy_id] => 11839
            [taxonomy] => post_tag
            [description] => 
            [parent] => 0
            [count] => 1
            [filter] => raw
        )

    [3] => WP_Term Object
        (
            [term_id] => 11838
            [name] => Intenção de voto
            [slug] => intencao-de-voto
            [term_group] => 0
            [term_taxonomy_id] => 11838
            [taxonomy] => post_tag
            [description] => 
            [parent] => 0
            [count] => 2
            [filter] => raw
        )

)

ENQUETE

Você acha que a direita da Itália sairá vitoriosa nas eleições parlamentares de 25 de setembro?

Ver resultados

Carregando ... Carregando ...

NOSSO E-BOOK GRÁTIS

SIGA NAS REDES

HORA E CLIMA EM ROMA

  • 10h52
fique por dentro

Não perca
nenhuma
notícia.

Cadastra-se na nossa ferramenta e receba diretamente no seu WhatsApp as últimas notícias da comunidade.