Um grupo de estagiários do Banco da Itália (banco central do país) apresentou um projeto para reconstruir virtualmente a cidade de Amatrice, devastada por um terremoto em 24 de agosto de 2016

A iniciativa, chamada “Amatrice Virtual: Um percurso de conhecimento e valorização”, tem como objetivo documentar o patrimônio perdido nos tremores de terra e a evolução do município ao longo dos anos.

A ideia foi apresentada ao Banco da Itália, no âmbito de um programa que incentiva o uso das novas tecnologias para valorizar o patrimônio imobiliário. O projeto utilizou o Google Street View e outras plataformas digitais para documentar o patrimônio perdido.

Segundo o Banco da Itália, ele evidencia as possibilidades de uma abordagem multidisciplinar e que o uso de instrumentos digitais para a reconstrução virtual tem encontrado um emprego crescente no trabalho profissional e na pesquisa.

A iniciativa amplia a capacidade de pesquisa histórica, permitindo o acesso a documentos e a diversos recursos digitais nunca antes imaginados. O seminário teve autoria de Simone Lucchetti e Massimiliano Storgato e foi desenvolvido por estagiários do Banco da Itália. O terremoto de Amatrice desencadeou uma sequência sísmica no centro da Itália e deixou 299 mortos.

(IstoÈ)