Partido Democrático, de centro-esquerda, aceitou com condições proposta do antissistema Movimento 5 Estrelas para reduzir número de parlamentares. Grupos têm até terça-feira (27) para decidir coalizão

O anti-establishment Movimento 5 Estrelas e o Partido Democrático (PD), de centro-esquerda, anunciaram avanços nas negociações, o que abre possibilidade de formação de um novo governo na Itália.

O PD disse aceitar – com condições – a exigência principal do Movimento 5 Estrelas: redução no número de integrantes do Parlamento. O partido antissistema quer diminuir a quantidade de parlamentares de 945 para 600.

“O corte no número de parlamentares precisa ser feito, ponto final. Se não conseguirmos este primeiro item, não haverá mais nada”, disse o líder do 5 Estrelas, Luigi di Maio.

Senado da Itália durante votação — Foto: Remo Casilli/Reuters

Em compensação, o PD – que tradicionalmente se opõe a uma reforma no Parlamento – disse que só cogitará a redução se ela fizer parte de uma reforma institucional mais ampla em um processo longo.

“Somos a favor de reduzir o número de membros do Parlamento, contanto que existam garantias constitucionais”, disse, sem detalhar quais são as garantias que busca.

Emissários das duas siglas disseram haver motivo para se acreditar que uma coalizão pode ser formada eventualmente, mas que as decisões finais dependerão de seus líderes. Os mercados financeiros se animaram com a esperança de um acordo.

“Nenhum obstáculo insuperável foi apresentado”, disse o vice-chefe do PD, Andrea Orlando.

Anteriormente, o PD havia imposto as seguintes condições ao Movimento 5 Estrelas:

  • “filiação leal” à União Europeia
  • dar um papel central ao Parlamento
  • desenvolvimento econômico baseado em sustentabilidade ambiental
  • mudança no tratamento dos imigrantes
  • mudança na política econômica para fortalecer o investimento.

Novo governo na Itália

Matteo Salvini ao lado de Guiseppe Conte, que lê seu discurso no Parlamento italiano, em Roma — Foto: Yara Nardi/Reuters

Juntos, o PD e o Movimento 5 Estrelas podem formar um novo governo na Itália, contra a tentativa de Matteo Salvini – ministro do Interior e líder do partido nacionalista Liga – de forçar novas eleições.

A terceira maior economia da zona do euro vive caos político desde que seu governo, abalado por meses de conflitos internos, desmoronou nesta semana. Salvini, líder da Liga, dissolveu a coalizão que formava com o 5 Estrelas e tentou forçar novas eleições.

  • Entenda o que pode acontecer na Itália

No meio da crise, o primeiro-ministro, Giuseppe Conte, renunciou no momento em que o governo da Itália começaria a preparar o orçamento para 2020.

Sergio Mattarella, presidente da Itália, fala a jornalistas nesta quinta-feira (22) — Foto: Vincenzo Pinto/AFP

Na última quinta-feira (22) , o presidente Sergio Mattarella deu aos partidos cinco dias para fecharem um acordo para evitar eleições antecipadas que provavelmente recompensariam Salvini.

Agora, o PD e o 5 Estrelas, tradicionalmente adversários, estão negociando para compor uma nova coalizão e empurrar a Liga para a oposição. Em meio a suspeitas mútuas e grandes diferenças ideológicas, cada um está aumentando as apostas na crença de que o outro teme mais um retorno às urnas.

(com informações da Reuters)