Essa é a primeira alta mensal do índice neste ano

A Itália registrou pela primeira vez em 2019 um crescimento mensal no número de migrantes forçados que desembarcam em seus portos.

Segundo dados do Ministério do Interior, o país acolheu 1,2 mil pessoas nos primeiros 17 dias de setembro, uma alta de 26,7% na comparação com as 947 do mesmo mês inteiro do ano passado.

Até então, nenhum mês de 2019 havia superado a marca de igual período em 2018. Apesar disso, o acumulado do ano ainda registra queda de 69,77% – 6.291 em 2019 e 20.812 até 17 de setembro de 2018.

O maior número dos migrantes forçados que desembarcam na Itália é proveniente da Tunísia (1.665), seguida por Paquistão (862), Costa do Marfim (676), Argélia (569) e Iraque (557).

O novo governo italiano, ainda chefiado pelo primeiro-ministro Giuseppe Conte, promete reverter as políticas migratórias restritivas implantadas por Matteo Salvini e fazer a União Europeia criar um mecanismo permanente de redistribuição de solicitantes de refúgio, ideia que encontra oposição dos países do leste da UE. (ANSA)