O Ministério do Desenvolvimento Econômico da Itália adiou mais uma vez o prazo para o consórcio, liderado pela empresa pública Ferrovie dello Stato (FS), apresentar um plano de resgate para a Alitalia até 15 de outubro

A informação foi confirmada na segunda-feira (16), um dia depois da data limite para a apresentação da oferta final, a pedido dos comissários extraordinários do maior grupo de aviação civil do país.

Em nota, o novo ministro da pasta, Stefano Patuanelli, autorizou a prorrogação para permitir que “o consórcio comprador defina os detalhes do plano de relançamento da Alitalia”.

Segundo fontes financeiras, ainda há alguns nós a serem desfeitos, mas a Ferrovie dello Stato (FS), o Ministério da Economia e das Finanças, o grupo rodoviário italiano Atlantia e a empresa americana de aviação civil Delta já se comprometeram em fechar o acordo.

O novo atraso no prazo, no entanto, é a sexta extensão concedida pelo governo italiano e tem como objetivo dar mais tempo para a conclusão das tratativas. No plano atual, a FS e Atlantia teriam 35% cada, enquanto o Ministério da Economia e a Delta ficariam com 15% cada.   

A companhia aérea está desde maio de 2017 sob intervenção do governo, devido a uma grave crise de liquidez que a deixou à beira da falência. Seus acionistas são a holding Compagnia Aerea Italiana (CAI), com 51%, e o grupo árabe Etihad Airways, com 49%. (ANSA)