BIANUAL

BIANUAL

A partir de
Por R$ 299,00

ASSINAR
ANUAL

ANUAL

A partir de
Por R$ 178,00

ASSINAR
ANUAL ONLINE

ANUAL ONLINE

A partir de
Por R$ 99,00

ASSINAR


Mosaico Italiano é o melhor caderno de literatura italiana, realizado com a participação dos maiores nomes da linguística italiana e a colaboração de universidades brasileiras e italianas.


DOWNLOAD MOSAICO

Baixe nosso aplicativo nas lojas oficiais:

Navio com 47 migrantes entra em águas italianas

25 de janeiro de 2019 - Por Comunità Italiana
Navio com 47 migrantes entra em águas italianas

 

Embarcação é da ONG alemã Sea Watch

Na manhã desta sexta-feira (25), o navio da ONG Sea Watch entrou em águas territoriais italianas e ancorou a uma milha da costa de Siracusa, na Sicília. A embarcação havia resgatado 47 migrantes no Mediterrâneo Central há seis dias.

A permissão foi dada pela Guarda Costeira do país, por conta das más condições meteorológicas em alto mar, que ameaçavam a segurança da embarcação. O navio é escoltado por barcos de patrulha da própria Guarda Costeira e da Guarda de Finanças.

A Sea Watch realizou o resgate no último dia 19 de janeiro, em uma área de competência da Líbia e sem coordenação com as autoridades do país africano, segundo a Itália. Concluído o socorro, o navio começou a navegar rumo ao norte e inicialmente buscou proteção na pequena ilha de Lampedusa.

Em seguida, se encaminhou para a parte oriental da Sicília, onde se encontra atualmente. As ONGs que atuam no Mediterrâneo fazem ações em águas líbias por julgar que o país não oferece condições de segurança nem respeita os direitos humanos de migrantes.

A Itália não deu autorização para o desembarque dos deslocados internacionais, embora a Prefeitura de Nápoles tenha enviado uma mensagem ao comandante da embarcação abrindo seu porto. A permissão, contudo, depende do governo nacional.

“Não tenho nenhum desejo de sequestrar os 47 migrantes da Sea Watch. Não vejo a hora de fazê-los chegar, sãos e salvos, em outros países europeus. Nenhum espaço na Itália”, declarou o ministro do Interior e vice-premier Matteo Salvini, que é alvo de um inquérito por sequestro de pessoas, abuso de poder e prisão ilegal ao impedir durante cinco dias o desembarque de 150 migrantes que estavam em um navio da Guarda Costeira, em agosto.

Ele anunciou também ter enviado uma carta ao governo da Holanda cobrando que o país se encarregue dos deslocados internacionais da Sea Watch – o navio da ONG tem bandeira holandesa. A ideia ganhou eco com o ministro do Trabalho e também vice-premier Luigi Di Maio, que sugeriu até convocar o embaixador holandês em Roma.

“O navio da ONG Sea Watch terá do governo italiano suporte médico e sanitário se precisar, mas o convido a apontar a proa para Marselha [na França]. Esse navio tem bandeira holandesa e está a poucos quilômetros da costa italiana, por isso acho oportuno convocar imediatamente o embaixador holandês e perguntar sobre as intenções de seu governo”, disse.

Normas internacionais determinam que pessoas resgatadas no mar sejam levadas para o “porto seguro” mais próximo, independentemente de sua localização.

Apesar de a Itália ter sido durante muitos anos a principal porta de entrada para migrantes na União Europeia, o país acolhe proporcionalmente menos refugiados e solicitantes de refúgio que a Holanda: 353,9 mil, ou 0,58% de sua população, contra 109,7 mil (0,64%) da nação do norte da Europa.

Os dados são do Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (Acnur), referentes ao fim de 2017. Isso se dá porque a maioria das pessoas que entram na Itália pelo Mediterrâneo segue viagem rumo à parte setentrional da UE, mais rica e com comunidades estrangeiras mais estabelecidas.

O navio da Sea Watch já havia se envolvido em polêmica nos primeiros dias do ano, após ter ficado mais de duas semanas bloqueado em Malta com 32 migrantes a bordo. O desembarque só foi autorizado quando oito países europeus, inclusive a Itália, se comprometeram em “repartir” os deslocados.

Comunità Italiana

A revista ComunitàItaliana é a mídia nascida em março de 1994 como ligação entre Itália e Brasil.

Array
(
    [0] => WP_Term Object
        (
            [term_id] => 199
            [name] => Itália
            [slug] => italia
            [term_group] => 0
            [term_taxonomy_id] => 199
            [taxonomy] => post_tag
            [description] => 
            [parent] => 0
            [count] => 1034
            [filter] => raw
        )

    [1] => WP_Term Object
        (
            [term_id] => 951
            [name] => Mediterrâneo
            [slug] => mediterraneo
            [term_group] => 0
            [term_taxonomy_id] => 951
            [taxonomy] => post_tag
            [description] => 
            [parent] => 0
            [count] => 8
            [filter] => raw
        )

    [2] => WP_Term Object
        (
            [term_id] => 3340
            [name] => Migrantes
            [slug] => migrantes
            [term_group] => 0
            [term_taxonomy_id] => 3340
            [taxonomy] => post_tag
            [description] => 
            [parent] => 0
            [count] => 36
            [filter] => raw
        )

    [3] => WP_Term Object
        (
            [term_id] => 1816
            [name] => navio
            [slug] => navio
            [term_group] => 0
            [term_taxonomy_id] => 1816
            [taxonomy] => post_tag
            [description] => 
            [parent] => 0
            [count] => 12
            [filter] => raw
        )

    [4] => WP_Term Object
        (
            [term_id] => 4946
            [name] => ONG Sea Watch
            [slug] => ong-sea-watch
            [term_group] => 0
            [term_taxonomy_id] => 4946
            [taxonomy] => post_tag
            [description] => 
            [parent] => 0
            [count] => 1
            [filter] => raw
        )

    [5] => WP_Term Object
        (
            [term_id] => 798
            [name] => Sicilia
            [slug] => sicilia
            [term_group] => 0
            [term_taxonomy_id] => 798
            [taxonomy] => post_tag
            [description] => 
            [parent] => 0
            [count] => 28
            [filter] => raw
        )

)

ENQUETE

Futebol italiano se mobiliza contra racismo. Você acha que gritos preconceituosos devem ser punidos em estádios?

Ver resultados

Carregando ... Carregando ...

NOSSO E-BOOK GRÁTIS

SIGA NAS REDES

HORA E CLIMA EM ROMA

  • 07h53
fique por dentro

Não perca
nenhuma
notícia.

Cadastra-se na nossa ferramenta e receba diretamente no seu WhatsApp as últimas notícias da comunidade.