BIANUAL

BIANUAL

A partir de
Por R$ 299,00

ASSINAR
ANUAL

ANUAL

A partir de
Por R$ 178,00

ASSINAR
ANUAL ONLINE

ANUAL ONLINE

A partir de
Por R$ 99,00

ASSINAR


Mosaico Italiano é o melhor caderno de literatura italiana, realizado com a participação dos maiores nomes da linguística italiana e a colaboração de universidades brasileiras e italianas.


DOWNLOAD MOSAICO

Baixe nosso aplicativo nas lojas oficiais:

Nápoles chora a morte de Maradona, o ‘rei’ da cidade italiana

26 de novembro de 2020 - Por Comunità Italiana
Nápoles chora a morte de Maradona, o ‘rei’ da cidade italiana

Nápoles chora pela morte de Maradona, seu “rei”, seu ídolo, que na década de 1980 elevou a autoestima de uma das cidades mais pobres da Itália com seu gênio e alegria.

“Adeus, rei do futebol”, esta despedida está escrita em vários anúncios fúnebres com os quais os torcedores cobriram a cidade para divulgar sua morte na quarta-feira (25) na Argentina, aos 60 anos, por conta de uma insuficiência cardíaca.

“Ele era o rei, uma parte da cidade morre, ele era o coração e a mente”, comentou Gianni, um barista da praça central do Plebiscito, em entrevista à emissora de televisão RaiNews.

Centenas de torcedores compareceram ao bairro central Quartieri Spagnoli em frente ao mural gigante de Maradona com a camisa azul número 10 para homenagear o jogador que é como “São Gennaro, santo padroeiro, figura imortal”.

Flores, velas, bilhetes começaram a ser depositados em frente ao mural, apesar da cidade estar sob confinamento devido ao alto número de casos de Covid-19.

“Para sempre. Ciao Diego”, publicou o Napoli em suas redes sociais após saber do falecimento do ex-jogador.

Um pouco depois, o clube napolitano divulgou uma segunda mensagem acompanhada de uma fotografia de Maradona com a camisa da equipe: “Todos esperam nossas palavras, mas quais palavras podemos usar para expressar uma dor como a que sentimos? No momento, é hora das lágrimas, então chegará a hora das palavras “.

E é justamente a dor, as lágrimas, a tristeza, o carinho que reinam na cidade, com as quais o gênio do futebol argentino manteve um vínculo único, após passar sete anos quando era o melhor jogador do mundo.

“Vai embora um pedaço de nós”

“Um pedaço de nós está indo embora”, confessou Ivan Zazzaroni, diretor do jornal esportivo Corriere dello Sport, emocionado, diante das câmeras da televisão pública.

“Nunca imaginei me despedir de Maradona”, reconheceu Enzo Cucchi, outro renomado jornalista esportivo.

O prefeito da cidade do sul da Itália, Luigi de Magistris, que decretou um dia de luto nesta quinta-feira (26), acolheu o pedido de milhares de napolitanos para batizar com o nome do ex-jogador o estádio de Nápoles, sua segunda cidade depois de Buenos Aires.

“Morreu Diego Armando Maradona, o melhor jogador de futebol de todos os tempos. Diego fez sonhar o nosso povo, redimiu Nápoles com sua genialidade. Em 2017 tornou-se nosso cidadão de honra. Diego, napolitano e argentino, vocês no deu alegria e felicidade! Nápoles te ama!”, escreveu o prefeito no Twitter.

“Maradona não morreu. Ele só foi jogar como visitante”, reagiu o cineasta italiano Paolo Sorrentino, que desde a infância nutre uma verdadeira adoração pelo campeão argentino.

Sorrentino também acaba de terminar seu novo filme, rodado em Nápoles, intitulado “Foi a mão de Deus”, uma homenagem à seu time e ao ídolo argentino. A história de Maradona com o Napoli começou em 1984 e até hoje tem sido uma relação incondicional. A estrela argentina jogou pelo clube local entre 1984 e 1991, uma fase apaixonante marcada por sua recepção, na qual 70.000 torcedores foram ao estádio para dar as boas-vindas, e pela conquista de dois campeonatos italianos (1987 e 1990) e da Copa da Uefa de 1989.

‘Talento inigualável’, diz premiê da Itália sobre Maradona

O primeiro-ministro da Itália, Giuseppe Conte, também utilizou as redes sociais para afirmar que “o mundo inteiro chora a morte de Maradona”.   

Em sua mensagem, o premiê disse que, com seu “talento inigualável”, o ex-craque escreveu “páginas inesquecíveis na história do futebol”. “Adeus, eterno campeão”, declarou.   

A morte de Maradona foi anunciada no plenário do Senado italiano, durante a sessão legislativa desta quarta-feira (25).   

“Não sei se é oportuno, mas faço mesmo assim: infelizmente, devo anunciar que Maradona morreu”, afirmou o senador Ignazio La Russa, que detinha a palavra no momento.

Comunità Italiana

A revista ComunitàItaliana é a mídia nascida em março de 1994 como ligação entre Itália e Brasil.

Leia também outras matérias da nossa revista.



Comentários
Array
(
    [0] => WP_Term Object
        (
            [term_id] => 8149
            [name] => Diego Maradona
            [slug] => diego-maradona
            [term_group] => 0
            [term_taxonomy_id] => 8149
            [taxonomy] => post_tag
            [description] => 
            [parent] => 0
            [count] => 9
            [filter] => raw
        )

    [1] => WP_Term Object
        (
            [term_id] => 437
            [name] => Nápoles
            [slug] => napoles
            [term_group] => 0
            [term_taxonomy_id] => 437
            [taxonomy] => post_tag
            [description] => 
            [parent] => 0
            [count] => 42
            [filter] => raw
        )

    [2] => WP_Term Object
        (
            [term_id] => 571
            [name] => Napoli
            [slug] => napoli
            [term_group] => 0
            [term_taxonomy_id] => 571
            [taxonomy] => post_tag
            [description] => 
            [parent] => 0
            [count] => 86
            [filter] => raw
        )

)

ENQUETE

Com a crise, a Alitalia fecha as portas no Brasil e teremos falta de voos entre o país e a Itália. Você acha que isso prejudica o turismo e as relações comerciais entre os países?

Ver resultados

Carregando ... Carregando ...

NOSSO E-BOOK GRÁTIS

SIGA NAS REDES

HORA E CLIMA EM ROMA

  • 11h11
fique por dentro

Não perca
nenhuma
notícia.

Cadastra-se na nossa ferramenta e receba diretamente no seu WhatsApp as últimas notícias da comunidade.