Solidariedade milanesa Nesta época (quente) do ano, muitos clandestinos caminham como minas vagantes pelas ruas da cidade. A maioria conseguiu deixar os centros de acolhimento oficiais no sul do país e chegaram ao norte, com a esperança de encontrar trabalho ou de prosseguir viagem à Alemanha, França ou Holanda. Sem

Este conteúdo é restrito a membros assinantes do site. Se você é um usuário cadastrado, por favor faça login.

Quer fazer sua assinatura Comunità Italiana e ter acesso a todo conteúdo do site?

Então clique aqui e faça seu registro.

Login de Usuários