No primeiro jogo de Lucas Paquetá no San Siro, Milan e Napoli empataram sem gols neste sábado (26) em confronto válido pela 21ª rodada do Campeonato Italiano. O brasileiro fez a quarta partida consecutiva como titular desde a estreia pelo time rossonero.

Em um jogo de muita disputa, mas pouca inspiração dos dois lados, prevaleceu a boa atuação dos goleiros Donnarumma e Ospina para manter o zero no placar. Os arqueiros foram os grandes destaques em um dia que o ataque dos dois times não funcionou.

Com o resultado, o vice-líder Napoli chega a 48 pontos – oitos a menos que a Juventus, que vai enfrentar a Lazio na sequência da rodada. Já o Milan, na quarta posição, soma 35, mas pode mas pode ser ultrapassado pela Roma no domingo.

As equipes voltam a se enfrentar na próxima terça-feira (29), novamente no San Siro, desta vez pelas quartas de final da Copa da Itália.

Os melhores: Donnarumma e Ospina

Os goleiros foram os grandes responsáveis por assegurarem um ponto para as suas equipes neste sábado. Pelo lado do Milan, Donnarumma fez boas defesas e evitou que a equipe fosse vazada logo no início do primeiro tempo. Na etapa final, foi a vez de Ospina brilhar. O goleiro do Napoli defendeu um voleio de Musacchio na pequena área aos 33 minutos.

O pior: Kessié desperdiça boa oportunidade

O Milan teve nos pés de Kessié uma das melhores chances para vencer a partida no San Siro. O marfinense aproveitou uma bola sobrada dentro da área, limpou o lance e finalizou mal da entrada da pequena área. Foi a oportunidade mais clara do time rossonero na partida.

Primeiro tempo de poucas chances

O primeiro tempo foi de poucas chances criadas no San Siro. Em 45 minutos de muita disputa, erros de passes e pouca criatividade, as equipes chegaram pouco ao gol adversário. A melhor oportunidade de inaugurar o placar aconteceu aos cinco minutos, quando Callejón aproveitou um cruzamento da esquerda e apareceu livre dentro da área para chutar de primeira. Donnarumma caiu bem no canto e evitou o que seria o gol do Napoli.

Apesar de jogar fora de casa, o Napoli teve a iniciativa até a metade do primeiro tempo. O Milan equilibrou as ações antes do intervalo e, aos 40 minutos, teve uma chance com Paquetá. O brasileiro recebeu pela direita, girou e bateu cruzado para fora.

Milan pressiona, mas não consegue marcar

Depois de um primeiro tempo apagado, o Milan voltou com mais iniciativa na segunda etapa. Os rossoneros aumentaram o ímpeto ofensivo e ficaram perto de marcar o gol que poderia ter garantido a vitória ao time de Gennaro Gattuso. Logo aos dois minutos, Kessié teve uma grande chance quando aproveitou bola sobrada dentro da área e mandou por cima da meta. Aos 33, mais uma boa oportunidade: depois de uma cobrança de escanteio, Musacchio emendou um voleio da pequena área e viu Ospina fazer grande defesa.

O Napoli chegou a ameçar nos minutos finais, mas parou na boa atuação de Donnarumma, que foi seguro nos lances para evitar o gol. Nos acréscimos, a equipe ficou com um a menos quando Fabián Ruiz recebeu o segundo cartão amarelo e foi expulso. Paquetá estreia sem brilho no San Siro No quarto jogo consecutivo como titular desde que estreou pelo Milan, Lucas Paquetá fez neste sábado a sua primeira partida no San Siro, mas sem muito brilho. O brasileiro se mostrou bastante participativo e empolgou com um toque de calcanhar no primeiro tempo, mas foi substituído aos 23 minutos da etapa final para a entrada de Borini. O ex-Flamengo ainda não marcou pelo time rossonero.

Substituto de Higuaín ganha chance no segundo tempo Três dias após ser anunciado pelo Milan, o atacante Krzystof Piatek (ex-Genoa) fez a sua estreia pelo clube. Um dos artilheiros do Italiano com 13 gols, o polonês entrou na vaga de Cutrone aos 25 minutos da segunda etapa, mas não conseguiu evitar o empate sem gols. Ele foi contratado para ocupar a vaga de Higuaín, que se transferiu ao Chelsea por empréstimo até o fim da temporada.

Shevchenko é homenageado antes da partida

Antes da bola rolar, o ex-atacante Andriy Shevchenko foi homenageado e recebeu uma camisa de Ivan Gazidis, diretor-executivo do Milan. O ucraniano viveu um dos melhores momentos da carreira em sua primeira passagem pelo time rossonero, entre 1999 e 2006. Ele voltou ao clube em 2008.