Os integrantes do G20 (grupo das 20 maiores economias do mundo) decidiram hoje (7) redobrar o combate e adotar medidas para cortar o acesso de grupos fundamentalistas islâmicos ao sistema financeiro internacional, especialmente o Estado Islâmico e a Al Qaeda. A informação é da Télam.

Os líderes do G20 se comprometeram a reforçar a cooperação internacional e a luta contra o islamismo radical, a melhorar o intercâmbio de informações neste âmbito, barrar as fontes de financiamento desses grupos e evitar sua propagada nas redes sociais, depois da onda de atentados dos últimos anos.

Comunicado

Após a primeira jornada da cúpula do G20 em Hamburgo, Alemanha, o grupo emitiu um comunicado conjunto sobre a ameaça do terrorismo fundamentalista internacional, no qual condena sua expansão a nível global e se propõe a combatê-lo de forma unitária. “Nos asseguraremos que os terroristas sejam levados à justiça”, afirma o documento .

Os membros se comprometem no texto a apoiar os esforços das Nações Unidas contra o extremismo e destacam a necessidade de lutar de forma coordenada contra a ameaça que supõe o regresso a seus países de origem de combatentes procedentes da Síria e do Iraque, evitando que se estabeleçam em outras regiões. (Agência Brasil)