{mosimage}A italiana que reinventou os estacionamentos defende a arquitetura emocional, na qual trabalha com espaço para movimentar emoções

A fama internacional de excelência da arquitetura italiana se renova a cada dia com novos nomes que despontam no mundo. Natural do Piemonte, Teresa Sapey, mesmo radicada há mais de 20 anos na Espanha, contribui para isso. Autora de diversos projetos premiados em todo o mundo, considerada uma das dez designers mais importantes da Europa, ela esteve em São Paulo no final de novembro para participar do 2º Congresso Brasileiro de Estacionamentos. Ganhou fama ao reinventar o modo como se concebem os estacionamentos, tanto que ganhou do amigo e também arquiteto Norman Forster o apelido de “Madame Parking”.
Ganhadora do Prêmio Mulher do Ano de 2011, concedido pela organização internacional Women Together a mulheres que conjugam sucesso profissional com empenho social, entregue na sede da ONU, em Nova York, a italiana defende projetos criados sob o conceito de arquitetura emocional com o objetivo de provocar emoções e reações nas pessoas. Por isso, desde o seu primeiro projeto de estacionamento, investiu nas “emoções”: criou uma garagem subterrânea espetacular, que se tornou ao longo um dos lugares mais cool de Madri, recebendo mostras de arte e até festas de celebridades, como da cantora Madonna.
— Trabalho com espaço para movimentar emoções — costuma afirmar Teresa, formada pelo Instituto Politécnico de Turim. Ela esteve no Brasil pela primeira vez em novembro de 2012 para participar de um congresso dedicado ao setor de estacionamentos. 

A garagem que virou
o lugar mais cool da
capital espanhola
Entre os seus projetos de estacionamento, o principal destaque é o primogênito: a aclamada garagem do Hotel Puerta de América, em Madri, do Grupo Silken. Envolveu 19 grandes estrelas da arquitetura mundial, como Norman Forster, Jean Nuovel e Zaha Hadid. Obra prima da arquitetura mundial, o hotel, construído em 2004, foi dividido entre o grupo seleto de arquitetos. A cada um coube uma parte do hotel. A italiana ficou responsável pelo estacionamento. Sua primeira e bem sucedida, incursão no mundo das garagens lhe valeu o Prêmio Oficial de Arquitetura de Madri em 2005. A partir daquele desafio inusitado, ela criou não apenas um estacionamento inovador, mas um dos espaços mais interessantes e cultuados da capital espanhola, frequentemente alugado para eventos externos de calibre internacional como a feira anual de arte contemporânea. Recentemente, até a cantora Madonna alugou o espaço para promover uma festa. No projeto, Teresa Sapey realizou um jogo de cores e grafismo, mas manteve a funcionalidade como base da garagem subterrânea. Nos grafismos, o poema usado como inspiração para o projeto “Liberdade”, de Paul Éluard, se mistura aos símbolos que conduzem os hóspedes pela garagem do hotel. Um dedo indicador mostra o caminho para a saída, mostrando como Teresa une humor, cor, harmonia e funcionalidade em seus estacionamentos.
Madame Parking possui um grande estúdio de arquitetura especializado em design de vanguarda para clientes de luxo, como lojas, restaurantes, hotéis e — especialmente — estacionamentos. Seus projetos são marcados pela presença de muitas cores, bom humor, criatividade e funcionalidade. No meio termo entre arte e design, rigor tecnológico e criatividade, Teresa, que estudou em Paris nas conceituadas Parson´s School of Design e Universidade “La Villete”, já atuou em projetos de diversas realidades, tanto públicas quanto privadas, sempre utilizando luzes, cores, materiais e objetos inovadores para criar espaços convidativos à convivência. E assim aconteceu com os estacionamentos. Para ela, são os lugares ideais para reinventar o espaço e jogar com luzes e cores a fim de criar uma atmosfera diferente dos estacionamentos sórdidos e cinzas comumente encontrados.
Confira a entrevista exclusiva concedida à ComunitàItaliana poucos dias antes de embarcar para o Brasil, em novembro.

ComunitàItaliana – Como você começou a se interessar em projetar estacionamentos?
Teresa Sapey – Quando me convidaram para participar do projeto do Hotel Puerta de América, não havia mais nenhum espaço disponível. Então, propus a realização de um projeto inovador para o andar subterrâneo. Assim nasceu a minha paixão pelos estacionamentos… A partir de uma casualidade totalmente imprevista da vida!

CI – Como o seu trabalho de arquitetura emocional se traduz em um projeto de estacionamento?
TS – Através do uso da luz, das cores, do som, da audição. Esta é a arquitetura sensorial.
 
CI – Qual era o seu objetivo com o estacionamento do Hotel Puerta America?
TS – O objetivo deste projeto era realizar bem o meu trabalho enquanto arquiteta e dar o meu melhor. O resultado foi que se tornou um lugar cool, da moda. Assim, aconteceu que Madonna quis utilizá-lo como locação para o lançamento da sua marca de vinhos. Como ela, muitas outras marcas escolheram este lugar e há ainda uma feira de arte que ocorre ali todos os anos. É a comprovação de que um estacionamento pode ser muito mais.

CI – Qual a relação do projeto Estacionamento Chueca an Dante com o escritor Dante Alighieri?
TS – O estacionamento Chueca an Dante tem como objetivo celebrar o amor universal. O amor como energia da nossa vida em todos os níveis. É um projeto que se inspira no grande Dante, em especial ao canto do inferno dedicado a Paolo e Francesca, representantes e responsáveis de um grande amor.

CI – O seu projeto do Canovas, em Valência, foi considerado o primeiro estacionamento ecológico do mundo. Como essa preocupação ecológica se traduziu no projeto?
TS – Todos precisamos do automóvel. Não temos alternativas. Podemos mudar o tipo de carro, ecológico, híbrido ou elétrico, mas sempre haverá necessidade de um local para estacioná-lo e deixá-lo, para depois seguir com a bicicleta ou a pé. A partir daí, a necessidade de pontos de recarga elétrica e de criar um local ecológico para deixar os veículos e continuar com as próprias pernas.

CI – Qual sua opinião sobre o Brasil?
TS – Nunca estive no Brasil antes e estou muito emocionada (de visitá-lo pela primeira vez). É um grande país, que transmite energia e cor. Possui um grande passado e certamente um futuro magnético.