O primeiro-ministro da Itália, Giuseppe Conte, se reuniu, nesta quinta-feira (8), com o presidente Sergio Mattarella para analisar a crise política que atinge o país e que pode acarretar na convocação de novas eleições.

A continuidade da aliança entre os partidos Liga Norte e Movimento 5 Estrelas (M5S), que formam o governo desde meados de 2018, está em xeque. O estopim para a crise foi uma sessão realizada ontem (7) no Senado sobre o projeto de trem de alta velocidade (TAV) de Turim a Lyon, na França.

Apoiada pela Liga, a obra é criticada pelo M5S. A posição dos partidos na sessão parlamentar deixou claro que o governo não consegue mais formar maioria.

Nesta quinta-feira (8), a Liga, do vice-premier e ministro do Interior Matteo Salvini, emitiu um comunicado pedindo novas eleições.

“A Itália precisa de certezas e de escolhas corajosas e compartilhadas. É inútil seguir adiante com ‘nãos’, adiamentos, bloqueios e brigas cotidianas. Cada dia que passa é um dia perdido. Para nós, a única alternativa a este governo é dar a palavra aos italianos com novas eleições”, disse a Liga Norte, em um comunicado.

“Há o conhecimento de que, depois de tantas coisas boas feitas, fundamentais para o país, como grandes obras de infraestrutura, desenvolvimento econômico, aplicação de autonomias, energia, reforma da justiça e relação com a Europa, entre a Liga e o M5S existem visões diferentes”, ressaltou a nota.

Salvini e o também vice-premier Luigi di Maio, do M5S, cancelaram suas agendas de hoje para se concentrarem na crise política em Roma. Di Maio se reuniu pela manhã com os líderes do M5S no Parlamento, Francesco D’Uva e Stefano Patuanelli no Palácio Chigi.

“Lemos nos jornais sobre a possibilidade de crise no governo. O Movimento está trabalhando como em todos os dias pelo país, inclusive o líder político, Luigi Di Maio”, garantiu o M5S.   

A tensão política tem afetado os mercados nesta quinta-feira. O spread Btp-bund atingiu 210 pontos.