BIANUAL

BIANUAL

A partir de
Por R$ 299,00

ASSINAR
ANUAL

ANUAL

A partir de
Por R$ 178,00

ASSINAR
ANUAL ONLINE

ANUAL ONLINE

A partir de
Por R$ 99,00

ASSINAR


Mosaico Italiano é o melhor caderno de literatura italiana, realizado com a participação dos maiores nomes da linguística italiana e a colaboração de universidades brasileiras e italianas.


DOWNLOAD MOSAICO

Baixe nosso aplicativo nas lojas oficiais:

Início » Líderes políticos da Itália vão às urnas para escolher novo primeiro-ministro

Líderes políticos da Itália vão às urnas para escolher novo primeiro-ministro

25 de setembro de 2022 - Por Comunità Italiana
Líderes políticos da Itália vão às urnas para escolher novo primeiro-ministro

Os principais líderes políticos da Itália foram às urnas na manhã deste domingo (25) para votar nas eleições parlamentares antecipadas que definirão o primeiro-ministro do país e incentivaram os cidadãos a exercerem o direito de voto. O presidente da Itália, Sergio Mattarella, votou logo cedo neste domingo na cidade siciliana de Palermo e foi recebido com aplausos.

O chefe de Estado depositou o voto na seção 535 no colégio “Giovanni XXIII – Piazzi”, no centro de Palermo, por volta das 8h45 (horário local).

Mattarella antecipou sua chegada ao instituto na via Rutelli para não coincidir com a cerimônia de aniversário do assassinato do juiz Cesare Terranova e do marechal Lenin Mancus, ocorrido no dia 25 de setembro de 1979 na mesma rua.

Líderes partidários depositam votos

O ex-ministro do Interior e líder do partido de extrema-direita Liga, Matteo Salvini, votou em Milão na seção da via Pietro Martinetti. Ao deixar o colégio eleitoral, ele disse aos repórteres que passará o dia de votação com sua filha na fazenda.

“Conto que a Liga é a força parlamentar no pódio, primeira, segunda ou terceira no máximo”, declarou Salvini.

Questionado se o quarto lugar seria uma derrota, ele respondeu: “Jogo para ganhar, não para participar”.

O ex-primeiro-ministro italiano e líder do partido conservador Força Itália (FI), Silvio Berlusconi, votou neste domingo no centro de Milão e se recusou a cantar “Bella Ciao”, célebre música antifascista e símbolo da Resistência no país.

Ao deixar seu colégio eleitoral, Berlusconi foi abordado por um repórter do programa de TV “Le Iene” – espécie de “CQC” da Itália – , que pediu para ele cantar “Bella Ciao”.

“Não, não posso, seria muito criticado”, explicou o ex-premiê.

 Questionado se “Bella Ciao” é uma canção da esquerda italiana, Berlusconi acrescentou: “Francamente é usada como uma música de esquerda. No começo eu acho que era uma música boa e pronto”, concluiu.

O presidente da Força Itália votou na sede da escola primária na via Fratelli Ruffini, em Milão, e ressaltou que esta é a primeira vez que vê fila. “Nunca vi filas em outros anos”, disse ele acompanhado de sua parceira Marta Fascina.

Já o líder do partido Itália Viva (IV), Matteo Renzi, registrou seu voto em uma escola em Florença, acompanhado de sua esposa, Agnese Landini, e de Francesco Bonifazi, senador cessante do IV e candidato.

“Nós votamos. Você também, qualquer que seja sua opinião política. A democracia se nutre do compromisso de todos. Viva a República, viva a Itália”, escreveu Renzi, após votar.

Agora, o ex-premiê da Itália viajará para Tóquio, onde participará do funeral do ex-primeiro-ministro Shinzo Abe, assassinado em julho passado durante um comício eleitoral.

Por sua vez, o secretário do Partido Democrático (PD), Enrico Letta, votou esta manhã no instituto De Amicis/Cattaneo, na via Galvani, no bairro de Testaccio, em Roma.

O líder da esquerda preferiu posar em silêncio perante à imprensa e limitou-se a um “bom dia” e a tirar uma fotografia com algumas das pessoas que votaram na mesma escola.

O presidente da legenda de centro Ação, o ex-ministro do Desenvolvimento Econômico Carlo Calenda, votou em Roma junto com sua esposa Violante Guidotti Bentivoglio e incentivou os cidadãos italianos a fazer o mesmo.

“Vote, vote livremente, sem condicionamentos e sem medo. A Itália é sempre mais forte do que quem a quer fraca”, disse ele.

O ex-primeiro-ministro da Itália Giuseppe Conte também já votou nas eleições deste domingo que tem a coalizão de centro-direita como favorita.

Por fim, a presidente do Irmãos da Itália (FdI), Giorgia Meloni, votou no fim do dia, em Roma, no encerramento das urnas, em vez desta manhã como originalmente planejado. Segundo sua equipe, a escolha foi feita pela necessidade de permitir um voto pacífico aos eleitores, tendo em vista que a seção eleitoral está repleta de fotógrafos e de apoiadores, o que não teria permitido aos cidadãos exercer o seu direito de voto com a calma necessária.

“Hoje você pode ajudar a escrever a história. Nós escrevemos história juntos”, escreveu Meloni em suas redes sociais.

Comunità Italiana

A revista ComunitàItaliana é a mídia nascida em março de 1994 como ligação entre Itália e Brasil.

Leia também outras matérias da nossa revista.



Comentários
Array
(
    [0] => WP_Term Object
        (
            [term_id] => 11845
            [name] => 25 de Setembro
            [slug] => 25-de-setembro
            [term_group] => 0
            [term_taxonomy_id] => 11845
            [taxonomy] => post_tag
            [description] => 
            [parent] => 0
            [count] => 32
            [filter] => raw
        )

    [1] => WP_Term Object
        (
            [term_id] => 5388
            [name] => Eleições Parlamentares
            [slug] => eleicoes-parlamentares
            [term_group] => 0
            [term_taxonomy_id] => 5388
            [taxonomy] => post_tag
            [description] => 
            [parent] => 0
            [count] => 66
            [filter] => raw
        )

)

ENQUETE

Você acredita que ainda pode haver uma reviravolta em relação às eleições brasileiras?

Ver resultados

Carregando ... Carregando ...

NOSSO E-BOOK GRÁTIS

SIGA NAS REDES

HORA E CLIMA EM ROMA

  • 17h23
fique por dentro

Não perca
nenhuma
notícia.

Cadastra-se na nossa ferramenta e receba diretamente no seu WhatsApp as últimas notícias da comunidade.