Unir esforços para enfrentar os desafios do crescimento sustentável: esse foi o objetivo da IX Conferência Itália-América Latina e Caribe, realizada nesta quinta-feira (10) na Farnesina, em Roma

A conferência, que reuniu ministros das Relações Exteriores dos países da América Latina e do Caribe, delegações e altos representantes das embaixadas da região, especialistas e personalidades italianas de instituições e do setor privado, acontece a cada dois anos, e, nesta edição, abordou iniciativas concretas para promover a circularidade da economia.

Por meio do intercâmbio de experiências e do lançamento de novas propostas, resultados concretos buscam ser alcançados de acordo com os objetivos da Agenda 2030 das Nações Unidas. Em particular, em matéria de crescimento sustentável, foi proposta a adoção de uma declaração de intenções para a promoção de um modelo de cidade circular e eco-sustentável. Esta é, também, uma atividade concreta de treinamento para a prevenção da corrupção, que apresenta um custo econômico muito alto, particularmente no domínio dos contratos públicos.

A conferência também visou fortalecer os vínculos econômicos, culturais e históricos entre a Itália e a América Latina.

Na América Latina, a Itália investe e produz, seja em parceria ou de forma direta, em mais de 3.500 empresas nacionais: em 2018, os investimentos diretos da Itália atingiram o valor de 31 bilhões de euros, enquanto o intercâmbio é da ordem de 23 bilhões, com mais de 14 bilhões de exportações do país, uma figura que apresenta mais espaço para melhorias. Oportunidades de colaboração nas áreas de inovação tecnológica, economia digital e circular, relações acadêmicas e científicas também são de grande interesse e relevância.

Nas redes sociais, Di Maio publicou sobre o evento:

“Esta manhã, no ministério dos negócios estrangeiros, realizou-se a IX Conferência Itália – América Latina e Caribe “juntos para um crescimento sustentável”. Um encontro entre o nosso país e os da América do Sul e Caribe, para renovar a amizade que o Itália nutre em relação as nações historicamente próximas da nossa história e cultura”.

A Conferência, que teve a participação de 38 delegações nacionais compostas por ministros, vice-ministros e representantes de países da América Latina e do Caribe, além de representantes líderes de organizações e bancos internacionais e regionais de desenvolvimento, também ofereceu a oportunidade para uma série de reuniões bilaterais do Ministro Di Maio. A reunião foi concluída com uma Declaração Final que compromete a colaboração dos participantes para alcançar os objetivos acordados.