BIANUAL

BIANUAL

A partir de
Por R$ 299,00

ASSINAR
ANUAL

ANUAL

A partir de
Por R$ 178,00

ASSINAR
ANUAL ONLINE

ANUAL ONLINE

A partir de
Por R$ 99,00

ASSINAR


Mosaico Italiano é o melhor caderno de literatura italiana, realizado com a participação dos maiores nomes da linguística italiana e a colaboração de universidades brasileiras e italianas.


DOWNLOAD MOSAICO

Baixe nosso aplicativo nas lojas oficiais:

Italioca, um casamento gastronômico

13 de agosto de 2014 - Por Comunità Italiana
Italioca, um casamento gastronômico

saporiditalia1Com petiscos típicos dos botecos cariocas e pratos clássicos da culinária italiana, casa fundada por um italiano e uma brasileira faz sucesso em bairro turístico do Rio

Rio de Janeiro – A “princesinha do mar” ganhou um novo restaurante, ou melhor, um botequim italioca, como gosta de chamá-lo a administradora brasileira Márcia Oliveira, que auxilia o marido italiano e renomado chef de cozinha Renato Ialenti em seu novo desafio. Em maio, o simpático casal ítalo-carioca abriu as portas do Pra Vadiar – Botequim Italioca, em Copacabana, que acabou virando um concorrido ponto de encontro entre torcedores durante a Copa do Mundo.

Com um nome brincalhão, o casal criou um lugar informal e descontraído, que Ialenti define em italiano como senza fronzoli (sem frescuras). O proprietário é um rosto conhecido na Úmbria, onde comandava o Il Cantico, classificado no guia Michelin — instalado em um lugar fora do comum, dentro da Abadia de San Pietro in Valle, do ano 700, escondida entre montanhas e patrimônio nacional. Em 2009, impulsionado pela crise na Itália, decidiu se mudar com a esposa para o Brasil. A partir de 2006, passou a realizar eventos gastronômicos na Embaixada italiana em Brasília.

O chef umbro admite que não foi uma escolha fácil deixar o que havia construído na Itália, pois teve que recomeçar do zero em um novo país.

— A escolha de abrir um restaurante mais informal é um retorno às minhas origens, ao primeiro restaurante que abri — conta Ialenti.

O cardápio oferece pratos tradicionais brasileiros e italianos, sem misturar as duas culinárias. Segundo ele, o segredo do novo empreendimento é respeitar ambas as tradições.

— As duas culinárias caminham juntas, mas eu não as misturo. Tenho que respeitar o gosto dos brasileiros, não posso impor a minha cozinha — explica Ialenti, que divide a cozinha com o chef brasileiro Marcos Martins, com quem cria os pratos tupiniquins. Mas o italiano se diz categórico em uma coisa: a massa é al dente, fiel à tradição italiana.

Apesar de o ambiente remeter a um botequim carioca, a casa não oferece somente petiscos e cerveja: é possível deliciar-se com iguarias mais elaboradas, como a variazione di agnello (pernil de cordeiro em duas texturas). Não faltam massas e risotos, com receitas romanas (terra natal do chef) e umbras (onde ele cresceu), como carbonara, e cacio e pepe (queijo pecorino e pimenta-do-reino). O spaghetti all’Amatriciana é um dos carros-chefes. Entre os risotos, destacam-se o de funghi porcini; com aspargos; e o de camarão (aspargos verdes e bisque de camarões). Para quem quer matar a saudade da porchetta (leitão assado), existem opções, como a que leva batatas ao forno e legumes grelhados, e o sanduíche de porchetta (tradicional assado de porco com ervas), que chega à mesa com queijo e abacaxi.

Entre os petiscos, há muita variedade, que incluem bruschettas e supplì ao telefone (bolinho de risoto à bolonhesa recheado com mussarela de búfala). Não faltam opções clássicas brasileiras, como frango a passarinho, moqueca, picanha, caldinho de sururu ou de feijão, além da feijoada aos sábados.

Com paisagens do Rio, imagens de sambistas e de craques do futebol nas paredes, o Italioca atrai muitos clientes, inclusive pela ampla carta de cervejas artesanais e de vinhos, que detalha com um mapa a origem e as características dos rótulos, a maioria italianos. O casal criou um ótimo lugar “para vadiar” e “curtir a vida” — bem ao estilo da cidade.    

saporiditalia2Spaghetti all’Amatriciana

Ingredientes do molho

1 cebola; 250 g de panceta italiana curada não defumada; 2 latas de 400 gramas de tomate-cereja ou tomate pelado; Azeite de oliva extra virgem; Um dedo de pimenta calabresa; 200 gramas de queijo pecorino; Sal

Modo de preparo

Pique a cebola e refogue-a com azeite de oliva extravirgem, acrescentando a panceta e um pouco de vinho branco. Adicione os tomate-cereja e deixe cozinhar com sal e pimenta. Segundo a versão da região Úmbria, adicione pequenas folhas de maggiorana. Cozinhe a massa al dente e salteie com os outros ingredientes do molho. Acrescente uma abundante porção de queijo pecorino ralado. Salteie mais uma vez e sirva.

Pra Vadiar – Botequim Italioca

Av. Nossa Senhora de Copacabana, 1241 Loja D – Rio de Janeiro

Tel.:(21) 2287-4226

De terça a domingo, de 9h à meia-noite

Comunità Italiana

A revista ComunitàItaliana é a mídia nascida em março de 1994 como ligação entre Itália e Brasil.

Leia também outras matérias da nossa revista.



Comentários