Evento foi organizado pela Italian Trade Agency (ITA), pela Firjan e pela Embaixada da Itália no Brasil, com colaboração da Câmara Ítalo-Brasileira de Comércio e Indústria e as empresas Enel e Terna

O seminário “A revolução energética do sistema elétrico brasileiro”, realizado nesta quarta-feira (13), na sede da Firjan, no Centro do Rio, discutiu a geração de energia renovável como um importante fator para o desenvolvimento estratégico do sistema energético do Brasil. Além disso, o evento também serviu para apresentar oportunidades de investimentos no setor e expectativas de negócios entre Brasil e Itália.

“É uma iniciativa estratégica muito importante, porque o setor da energia elétrica é onde os italianos têm uma presença muito relevante no mercado brasileiro. O desejo do seminário é oferecer uma oportunidade para os empresários brasileiros de conhecer o sistema industrial e as tecnologias avançadas italianas, além de promover as oportunidades para os empresários italianos que desejam investir no setor energético do Brasil”, disse o Embaixador da Itália no Brasil, Antonio Bernardini, à Comunità.

Palestrante na terceira parte do seminário, a responsável da Enel Green Power Brasil, Roberta Bonomi, destacou a importância de oportunidades no momento de transição energética. Atualmente, a Enel possui 17 milhões de clientes em todo o Brasil

“Mostrar todas as oportunidades para que as companhias possam ajudar nessa fase de transição de investimentos muito importantes que temos no país”, comentou Bonomi, sinalizando também o crescimento das energias renováveis, solar e eólica, e que a Green Power é líder no mundo nesse negócio muito graças ao Brasil.

O Diretor Executivo da Câmara Ítalo-Brasileiro do Rio de Janeiro, Giorgio Luigi Rossi, comparou os investimentos atuais no setor energético brasileiro com as investidas da Fiat nos anos 50.

“Hoje o Brasil é o quinto maior produtor de matriz renovável, solar e eólica, muito por mão de empresas italianas que cooperam com empresas brasileiras. O Brasil está em 12% dessa matriz renovável, e a ideia é que haja um crescimento ainda maior, com leilões que têm sido feitos pelo governo federal e pela Enel”, afirmou.

Também estavam presentes no seminário o Vice-Presidente da Firjan e Presidente do Conselho Empresarial de Energia Elétrica da Firjan, Sérgio Malta, a Subsecretária de Petróleo, Gás, Energia e Indústria da Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Estado do Rio de Janeiro, Cristina Pinho, o Secretário Adjunto de Energia Elétrica do Ministério das Minas e Energia, Domingos Andreatta, o Subsecretário de Estado do Ministério do Desenvolvimento Econômico Italiano, Davide Crippa, o Diretor de Estudos de Energia Elétrica da EPE, Amilcar Gonçalves Guerreiro, o Subsecretário de Coordenação de Energia e Aeroportos do PPI, Pedro Bruno Barros de Souza, o Diretor Geral da Aneel, André Pepitone da Nóbrega, o Diretor-geral da NOS, Luiz Eduardo Barata Ferreira e o Senior Officer na GSE, Alberto Biancardi.

No segundo painel, foi abordado oportunidades de financiamento no setor elétrico e contou com a participação do Diretor DCM & Project Finance do Banco do Brasil, Carlos Belinger, da Diretora de Investimentos do BNDES, Eliane Aleixo Lustosa de Andrade e do Head of São Paulo Office, SACE, Pauline Sebok.

Além de Roberta Bonomi, da Enel, o terceiro e último painel teve como tema Case Studies das energias renováveis, das redes de transmissão e de distribuição. Nele, os profissionais que palestrantes foram o Presidente Tenra Plus, Manilo Coviello, o Diretor Presidente SLTE e SMTE, Claudio Marchiori, o Responsável da Enel Distribuição São Paulo, Rosario Zaccaria, o Gerente do Instituto de Inovação em Química Verde da Firjan Senai, Paulo Furio, a Diretora de Novos Negócios da Asja, Melina Yurie Uchida, o Presidente Executivo da COGEN, Newton José Leme Duarte, o fundador e CEO da Sices Brasil, Leonardo Curioni e o Gerente para África, Latam & Iberia do Centro Italiano de Testes Eletrotécnicos, Francesco Rizzo.