Droga seria transportada para Roma em avião privado

A Guarda de Finanças da Itália prendeu cinco suspeitos de envolvimento com o tráfico internacional de cocaína, em uma operação batizada de “Brasile Low Cost”. Em tradução livre, “Brasil Baixo Custo”.

De acordo com as investigações, um dos detidos, o albanês Dorian Petoku, tinha relações com narcotraficantes brasileiros, enquanto outro suspeito, o montenegrino Tomislav Pavlovic, viajava frequentemente a São Paulo para cuidar de aspectos logísticos.

Os outros presos são os italianos Salvatore Casamonica, membro do clã romano Casamonica, Silvano Mandolesi e Marcello Schiaffini.

Casamonica já estava encarcerado havia alguns meses, já Mandolesi e Schiaffini cumpriam regime de prisão domiciliar.

O grupo teria acertado a importação de cerca de 7 toneladas de cocaína, que seriam levadas à Itália por meio de um avião particular proveniente do Brasil, com cargas de uma tonelada.

“Em meu nome e do Conselho Regional do Lazio, quero agradecer à Guarda de Finanças de Roma e à Direção Distrital Antimáfia da capital, que deram mais um duro golpe na criminalidade”, disse o presidente do conselho legislativo da região do Lazio, Daniele Leodori.