Em reunião com o vice-presidente da República, Hamilton Mourão, na última quinta-feira (8), em Brasília, o embaixador da Itália no Brasil, Antonio Bernardini, sinalizou que o governo italiano está considerando a possibilidade de homenagear o Brasil com um cemitério de soldados que morreram no país europeu durante a Segunda Guerra Mundial (1939-1945).

Segundo o embaixador, o Brasil é o único país que ainda não tem um cemitério atribuído na Itália. A possível homenagem é cogitada poucos meses depois que o vice de Jair Bolsonaro fez uma breve visita à Florença, onde participou de uma homenagem à Força Expedicionária Brasileira (FEB) em Pistoia, que abriga um memorial pelos pracinhas que lutaram pela libertação da Itália.

“O vice-presidente esteve na Itália em maio passado na Toscana, no lugar de combate da FEB. Seu pai era o capitão do Exército e a visita foi particularmente emocionante”, recordou Bernardini à Agência ANSA.

O encontro entre os dois ainda foi marcado pela discussão sobre as “excelentes relações entre os países e os investimentos de empresas italianas” que colocam a Itália “em primeira na fila entre os investidores internacionais”.

“Expressei a esperança de uma maior participação das empresas italianas no grande plano de infraestrutura do Brasil”, disse Bernardini.

O diplomata italiano e o vice-presidente brasileiro, por fim, ressaltaram a cooperação no setor de defesa entre as duas nações, principalmente depois que Mourão se encontrou com a ministra da Defesa da Itália, Elisabetta Trenta, em janeiro, por ocasião de sua visita ao Brasil.