A atual temporada da Serie A do Italiano vem enfrentando sérios problemas por conta de episódios de insultos raciais. Apesar de três casos terem ganhado destaque, dos jogadores Romelu Lukaku, Franck Kessié e Dalbert, ninguém ainda foi punido pelos atos.

Por isso, o Escritório Nacional Antidiscriminação Racial (UNAR), órgão subordinado à Presidência do Conselho dos Ministros, anunciou que pretende lançar em março de 2020 na Itália um observatório contra o racismo no esporte. A iniciativa ganhou forma após os mais recentes incidentes de discriminação racial nos estádios, as informações são da revista IstoÉ.

De acordo o diretor da UNAR, Triantafillos Loukarelis, o observatório deverá ser lançado no dia 21 de março de 2020, dia mundial contra a discriminação racial: “O mundo do futebol está conversando conosco para superar os fenômenos do racismo que são registrados nos estádios da Série A e nos campos suburbanos. Queremos uma aliança. Recebemos relatórios sobre discriminação e monitoramos a mídia na web, o ódio online. A percepção é um número crescente, mas infelizmente muitos casos não são relatados”, disse ele.

Em entrevista à agência italiana de notícias, Loukarelis revelou que teve na última segunda-feira (07) um primeiro encontro com as associações de jogadores e treinadores e afirmou que recebeu um feedback positivo.