Vulnerabilidade social aumenta o impacto da contaminação do ar

A Itália é o país da União Europeia com mais áreas em risco por causa da poluição do ar e de ondas de calor, como informa um estudo divulgado nesta segunda-feira (4) pela agência do bloco para meio ambiente (EEA).

De acordo com o relatório, fatores como as desigualdades econômicas e sociais, os baixos níveis de renda, as taxas de desemprego persistentemente altas e o aumento do número de idosos vulneráveis contribuem para elevar o impacto da poluição atmosférica e sonora e das temperaturas extremas.

A Itália é o país da UE com o maior número de áreas expostas a três tipos de poluição do ar – dióxido de nitrogênio, ozônio e partículas sólidas – e às ondas de calor. O país da bota ainda é uma das três na União Europeia com mais zonas onde os riscos ambientais se sobrepõem a fatores sociais, ao lado de Grécia e Eslováquia.

A Itália já foi denunciada pela Comissão Europeia por não respeitar limites de poluição atmosférica, algo que mata prematuramente cerca de 400 mil pessoas por ano no bloco.