Medida foi tomada após erupção do Etna provocar terremoto

O Conselho de Ministros da Itália aprovou nesta sexta-feira (28) um pedido para decretar estado de emergência durante um ano nos municípios da região da Sicília, no sul do país, afetados pelos terremotos provocados pela erupção do vulcão Etna.

O governo informou em comunicado que irá destinar 10 milhões de euros para a região para que as autoridades locais atendam as pessoas afetadas pelos tremores.

A decisão afeta municípios como Aci Bonaccorsi, Aci Catena, Aci Sant’Antonio, Acireale, Milo ou Santa Venerina, que na quarta-feira sofreram danos como consequência de um sismo após a erupção do Etna.

O chefe do Departamento de Proteção Civil da Itália, Angelo Borrelli, assinou a ordem que estabelece as intervenções emergenciais que serão feitas após o terremoto.

O diretor-executivo do órgão para a Sicília, Calogero Foti, ficou encarregado de preparar um plano de ação para adotar medidas para ajudar os cerca de mais de 400 desabrigados.

Com a decisão do governo, as pessoas que tiveram seus imóveis danificados ou totalmente destruídos pelos terremotos poderão solicitar a suspensão dos pagamentos de hipoteca.

Um terremoto de magnitude 4,8 na escala Richter sacudiu nesta quarta-feira, às 3h18 locais (0h18 em Brasília), a província de Catânia, na Sicília, no sul da Itália, deixando dez pessoas levemente feridas e provocando alguns danos e desmoronamentos.

A atividade sísmica, que continuou nas últimas horas, está ligada à erupção do Etna que começou no dia 24 de dezembro. (EFE)