O subsecretário da Presidência do Conselho dos Ministros, Giancarlo Giorgetti, apresentou nesta sexta-feira (5) a carta de garantia financeira do governo italiano para uma equipe do Comitê Olímpico Internacional (COI), visando sediar os Jogos de Inverno de 2026.

O documento foi assinado pelo primeiro-ministro da Itália, Giuseppe Conte, e foi entregue ao presidente da comissão do COI, Octavio Morariu.   

“Satisfeito e animado com o resultado alcançado. Nosso esporte merece e todos aqueles que se comprometeram a tornar a candidatura Milão e Cortina d’Ampezzo possível para os Jogos de 2026. Agradeço a todos e em particular ao presidente [do Conselho dos Ministros]Giuseppe Conte que sempre apoiou o projeto”, disse Giorgetti.   

Por sua vez, Conte declarou em nota que foi um “motivo de orgulho” assinar a carta de garantia financeira. Além disso, o premier afirmou que está na torcida para o projeto “ser o vencedor”.   

“Esta será a primeira Olimpíadas espalhadas pelo país, não de apenas uma cidade, mas de um país inteiro, por isso estou muito feliz”, disse o ministro do Interior e vice-premier da Itália, Matteo Salvini, que não participou do evento por conta do aniversário de seu filho.   

Milão e Cortina d’Ampezzo ficam a 350 quilômetros de distância uma da outra e dividirão as provas dos Jogos caso vençam a disputa contra Estocolmo, na Suécia. Milão é a capital financeira e segunda maior cidade da Itália, enquanto Cortina, sede dos Jogos de Inverno de 1956, é uma das principais estações de esqui do país.   

A candidatura italiana também incluiria Turim, mas disputas políticas acabaram tirando a capital do Piemonte. O COI deve anunciar a vencedora em setembro.