Comitê italiano lançou também o logotipo da campanha

O presidente do Comitê Olímpico Nacional Italiano (Coni), Giovanni Malagò, apresentou a candidatura conjunta entre Milão e Cortina D’Ampezzo para sediar as Olimpíadas de Inverno de 2026.

Em Tóquio, no Japão, a apresentação da candidatura italiana contou com a presença do prefeito de Milão, Giuseppe Sala, do governador da região do Vêneto, Luca Zaia, e da patinadora campeã olímpica Arianna Fontana.

“A nossa é uma candidatura que parte do território, em plena conformidade com a agenda 2020, com a qual o COI deu as diretrizes para os Jogos do futuro. Tenho certeza de que o sonho de Milão-Cortina 2026 se tornará realidade”, disse Malagò.

O logotipo da candidatura italiana também foi apresentado ao público. O emblema consiste em uma montanha tricolor na forma do Domo de Milão com uma pista de esqui no meio dela. A candidatura conjunta foi aprovada no início de outubro pelo Comitê Olímpico Internacional (COI).

As duas cidades italianas disputarão com Estocolmo, na Suécia, já que Calgary, no Canadá, deve se retirar após a candidatura ter sido rejeitada em referendo. A vencedora será escolhida em setembro de 2019.

A capital sueca também apresentou sua candidatura, mas sem apoio político, já que o novo governo do país ainda não foi formado. A apresentação de Estocolmo ficou por conta de Gunilla Lindberg, membro do COI, e deu destaque à sustentabilidade da cidade, que “pode representar uma grande oportunidade para o COI não apenas para 2026, mas também para o futuro”.

A Itália sediou as Olimpíadas em três ocasiões: os Jogos de Inverno de 1956, em Cortina D’Ampezzo, e 2006, em Turim; e os Jogos de Verão de 1960, em Roma.