A economia da Itália apresenta sinais de retomada, segundo relatórios publicados pelo Instituto Nacional de Estatísticas (Istat) e pelo IHS Markit.

O Istat informou, em seu comunicado mensal, que o indicador antecipado do Produto Interno Bruto (PIB) de julho “interrompeu sua tendência à flexão, constatada desde o fim do ano passado, e prospectou um cenário de leve melhoramento dos níveis produtivos”.

O instituto apontou como fatores positivos o aumento da confiança dos consumidores, além dos reflexos da redução da taxa de desemprego em junho, da estabilização do número de italianos empregados e da queda da inflação.

Já o índice PMI de serviços, feito pelo IHS Markit, apresentou um resultado melhor em julho na Itália, pelo segundo mês consecutivo, chegando aos 51,7 pontos, nível máximo alcançado em quatro meses. Em junho, o PMI tinha ficado em 50,5 pontos. O resultado referente ao setor terciário é superior ao esperado pelos analistas do setor, de 50,6 pontos.

Na zona do euro, no entanto, o índice PMI de serviços apresentou retração, caindo de 52,2 pontos de junho para 51,5 em julho. As principais dúvidas apontadas pelo Istat para a retomada do crescimento do PIB italiano estão relacionadas aos efeitos que a guerra comercial entre Estados Unidos e China pode ter na economia global.

“As perspectivas das trocas internacionais, penalizadas pela tensão comercial e pela desaceleração da atividade econômica da China, continuam negativas”, ressaltou o relatório. (com informações da Ansa)