Uma forte tempestade atingiu a Itália na quarta-feira (10) deixando pelo menos 18 feridos em Pescara, na região de Abruzzos, no centro do país   

Cerca de 20 carros ficaram submersos no estacionamento do hospital municipal da cidade italiana. Segundo relatos, a água chegou a alcançar 2 metros de altura e mergulhadores precisaram intervir. “A situação é difícil. A chuva de granizo que atingiu a cidade foi extremamente violenta com pedras de gelo do tamanho de bolas de beisebol”, disse Carlo Masci, prefeito de Pescara.

A tempestade de granizo também atingiu outras áreas, como Venafro, em Molise, além da região de Emilía-Romagna, onde várias plantações de tomates e milho sofreram danos em Piacenza.   

No porto de Abruzzos, alguns barcos de pesca afundaram no mar por conta da forte chuva. Já em Ortona, os destroços também bloquearam o acesso ao porto local. De acordo com Antonello Pasini, físico do Conselho Nacional de Pesquisas (CNR, na sigla em italiano), a Itália está cada vez mais exposta a eventos climáticos extremos porque não há “proteção” pelo anticiclone dos Açores.   

O mau tempo ainda provocou o desaparecimento de um trabalhador que operava um guindaste em uma fábrica em Taranto. O incidente ocorreu por volta das 19h30 (horário local) quando fortes rajadas de vento atingiram o equipamento e o homem caiu no mar.   

Bombeiros, mergulhadores e policiais foram acionados e estão realizando buscas pelo italiano. Por fim, um incêndio de grandes proporções atingiu a Praia de Catânia. As chamas foram alimentadas pelo vento quente e provocou o bloqueio de centenas de banhistas, incluindo 40 crianças, que precisaram ser evacuados pelo mar em botes da guarda costeira.

(com informações da ANSA)