Evento começa nesta quinta-feira (17) e se encerra no dia 14 de fevereiro

O Instituto Italiano de Cultura de São Paulo, em colaboração com a Pandora Filmes e a Pagu Pictures, apresenta o “Verão de cinema 2019”, um ciclo de quatro filmes do cinema italiano. Todos legendados em português.

Para a Comunità, o vice-diretor do Instituto, Carlo Molina, disse que as projeções de filmes italianos no Instituto contam com um público fiel, muito por conta da qualidade dos filmes projetados e também pela política de “portas abertas” que foi adotada no ano passado pela nova diretoria.

— O ciclo “Verão de cinema” quer confirmar a abertura do Instituto e comunicar a mensagem de um cinema italiano de qualidade, que pode ser obra de um diretor afirmado (Gabriele Salvatores) ou de diretores novos e menos conhecidos, mas mesmo assim interessantes e “surpreendentes” —, comenta Molina.

De forma gratuita, os filmes serão exibidos a partir desta quinta-feira (17) até o dia 14 de fevereiro, no Hall do Instituto, na Avenida Higienópolis, número 436.

— O ciclo de filme quer comunicar para o público brasileiro a imagem de um cinema italiano sempre muito atrativo, espelho de uma sociedade e de uma cultura vivazes, reativas e longe de uma homologação fácil e passiva —, complementa Molina à Comunità.

Confira a programação do Ciclo Verão de Cinema:

17 de janeiro

“Família feliz” (2010, 90′- por Gabriele Salvatores)

Os destinos de duas famílias se cruzam graças a seus filhos, apenas quinze anos, decidiram se casar. Mas um acidente de carro muda as cartas na mesa, perturbando o mundo dessas famílias e revelando o quanto os pais podem ser mais imaturos que seus filhos, as mães neuróticas, mas também corajosas, e as avós febris.

31 de janeiro

“Histórias de Fantasmas da Sicília ” (2017, 120′- de Fabio Grassadonia e Antonio Piazza)

Luna, uma garota siciliana apaixonada por desenho, atende a um colega de classe, Giuseppe, contra a vontade de seus pais, especialmente a mãe rígida que vem da Suíça, porque seu pai está envolvido com o submundo. Giuseppe leva o mesmo nome de Giuseppe Di Matteo e desaparece misteriosamente no final de uma tarde com Luna. Ela não dá paz, entrando em conflito com a família, tanto com os colegas quanto no crescendo dramático do filme com a melhor amiga. A certeza de que Giuseppe pode ser salvo vem de seus sonhos estranhos e de um evento terrível, no qual ele quase se afoga em um lago e parece encontrar o menino em uma espécie de caverna subaquática. Mas a realidade é muito menos mágica e muito mais terrível.

7 de fevereiro

“A vida em comum” (2017, 100′- por Edoardo Winspeare)

Em Disperata, uma pequena aldeia no sul da Itália esquecida por Deus, o prefeito Filippo Pisanelli se sente terrivelmente inadequado para sua tarefa. Somente o amor pela poesia e a paixão por suas lições de literatura com os internos fazem com que ele vislumbre um pouco de luz na depressão geral. Na prisão ele conhece Pati, um criminoso de baixo calibre de seu próprio país. O sonho de Pati e seu irmão Angiolino era se tornar o chefe de Capo di Leuca, mas o encontro com a arte muda sua maneira de ver o mundo.

14 de fevereiro

“A Ciambra” (2017, 117′- de Jonas Carpignano)

Pius, 14 anos, vive na pequena comunidade cigana chamada “A Ciambra”, na Calábria. Ele bebe, fuma e é um dos poucos em contato com todas as realidades da região: os italianos, os africanos e seus parentes Rom. Pio segue e admira seu irmão mais velho Cosimo e aprende com ele os elementos básicos do roubo. Quando Cosimo e seu pai são presos, é a vez de Pio assumir o papel de chefe da família que deve sustentar a grande família.