O promotor do Grande Prêmio da Itália de Fórmula 1, Angelo Damiani, afirmou que Monza precisa de 100 milhões de euros para continuar no calendário da principal categoria do automobilismo.

De acordo com Damiani, a negociação para manter o GP italiano com a Liberty Media, promotora da F1, está “complicada e difícil”. Caso não conseguir pagar a quantia, o circuito de Monza será cortado da categoria a partir de 2020.

“Dissemos em diversas ocasiões que Monza precisa de importantes ações e hoje a hipótese é de um montante total de 100 milhões de euros”, disse Damiani.

Na batalha para manter Monza na F1, o promotor italiano revelou ter recebido uma ajuda governamental de 10 milhões de euros, mas declarou que o valor não é o suficiente para salvar o circuito.

“Graças à região da Lombardia, conseguimos encontrar um equilíbrio este ano e precisamos renová-lo nos próximos anos. Há contratos muito caros e insustentáveis com a Liberty Media.

Monza é talvez o evento mais importante do campeonato mundial”, afirmou Damiani.

O Autódromo Nacional de Monza foi inaugurado em 1922 e já recebeu mais de 85 GPs. O piloto que mais vezes venceu a corrida italiana foi o brasileiro Ayrton Senna, com seis vitórias.