O objetivo é arrecadar cerca de 1,2 bilhão de euros até 2021

O governo da Itália deu início na terça-feira (16) a um programa para vender 1,2 bilhão de euros em propriedades do Estado ao longo dos próximos três anos, com o objetivo de reduzir sua dívida pública.

O plano do Ministério da Economia e das Finanças (MEF), publicado na edição desta terça do Diário Oficial, prevê a cessão de 420 imóveis, incluindo um convento em pleno centro histórico de Veneza, que não estejam sendo usados para fins institucionais.

O objetivo do governo é “arrecadar 950 milhões de euros em 2019 e 150 milhões em 2020 e 2021”, segundo uma nota oficial do MEF. As vendas serão feitas por meio de leilões, e os primeiros editais devem ser publicados até o fim de julho.

Além disso, o governo já identificou 1,2 mil bens de valores mais baixos – totalizando 38 milhões de euros – e que serão vendidos por meio de licitações regionais. A operação de privatização foi anunciada após as negociações com a Comissão Europeia para evitar a abertura de um procedimento de infração contra a Itália por excesso de dívida.

O débito público do país equivale a 132% do Produto Interno Bruto (PIB), mas o governo prometeu reduzir gastos e aumentar a arrecadação para evitar a explosão do endividamento. Todo o dinheiro obtido com as privatizações será destinado à redução da dívida.

(com informações da ANSA)