BIANUAL

BIANUAL

A partir de
Por R$ 299,00

ASSINAR
ANUAL

ANUAL

A partir de
Por R$ 178,00

ASSINAR
ANUAL ONLINE

ANUAL ONLINE

A partir de
Por R$ 99,00

ASSINAR


Mosaico Italiano é o melhor caderno de literatura italiana, realizado com a participação dos maiores nomes da linguística italiana e a colaboração de universidades brasileiras e italianas.


DOWNLOAD MOSAICO

Baixe nosso aplicativo nas lojas oficiais:

Governo da Itália facilita acesso ao aborto farmacológico

10 de agosto de 2020 - Por Comunità Italiana
Governo da Itália facilita acesso ao aborto farmacológico

O ministro da Saúde da Itália, Roberto Speranza, anunciou novas diretrizes que devem facilitar o acesso ao aborto farmacológico no país.  

Em mensagem divulgada no Facebook no fim da semana passada, Speranza afirmou que as alterações se baseiam em “evidência científica” e permitirão a interrupção voluntária da gravidez até a nona semana de gestação e sem necessidade de internação.  

As novas diretrizes dizem respeito à administração da pílula RU-486, que leva ao aborto sem necessidade de cirurgia. Até então, o Ministério da Saúde permitia o uso do medicamento apenas até a sétima semana de ausência de menstruação e recomendava uma internação de três dias.   

No entanto, deixava uma certa liberdade de escolha para os governos regionais em relação à necessidade de a paciente passar a noite no hospital. As novas diretrizes seguem um parecer favorável do Conselho Superior da Saúde, órgão de consultoria técnica e científica do governo.   

“As novas diretrizes, baseadas em evidência científica, preveem a interrupção voluntária da gravidez com método farmacológico sem internação e até a nona semana. É um passo adiante e importante”, disse Speranza no Facebook.   

O ministro havia pedido para o Conselho Superior da Saúde avaliar a questão após a governadora da Úmbria, Donatella Tesei, do partido de ultradireita Liga, ter reintroduzido a necessidade de três dias de internação para pacientes que passam por aborto farmacológico.   

A interrupção voluntária da gestação é permitida por lei na Itália desde 1978, mas o aborto via medicamentos foi autorizado apenas em 2009. De agora em diante, as pacientes poderão voltar para casa após meia hora da administração do remédio, desde que não apresentem ansiedade nem estejam sozinhas na residência.   

Depois de duas semanas, as novas diretrizes preveem uma consulta de acompanhamento e uma consultoria voluntária sobre contracepção. Após o anúncio do ministro da Saúde, a governadora da Úmbria prometeu se adequar às regras nacionais, mas o jornal católico Avvenire chamou a decisão de “desconcertante”. 

“Não há nenhuma conquista civilizatória em retirar proteção das mulheres e fazer do aborto um fato privadíssimo”, diz a edição de sábado (8) do diário. (dados da Ansa)

Comunità Italiana

A revista ComunitàItaliana é a mídia nascida em março de 1994 como ligação entre Itália e Brasil.

Leia também outras matérias da nossa revista.



Comentários
Array
(
    [0] => WP_Term Object
        (
            [term_id] => 7649
            [name] => Aborto Farmacológico
            [slug] => aborto-farmacologico
            [term_group] => 0
            [term_taxonomy_id] => 7649
            [taxonomy] => post_tag
            [description] => 
            [parent] => 0
            [count] => 1
            [filter] => raw
        )

)

ENQUETE

Grupo de partidos e associações da Itália iniciaram campanha para convocar um plebiscito sobre a descriminalização do cultivo e do uso da maconha. Você é a favor da liberação?

Ver resultados

Carregando ... Carregando ...

NOSSO E-BOOK GRÁTIS

SIGA NAS REDES

HORA E CLIMA EM ROMA

  • 21h56
fique por dentro

Não perca
nenhuma
notícia.

Cadastra-se na nossa ferramenta e receba diretamente no seu WhatsApp as últimas notícias da comunidade.