O Ministério Público de Milão abriu um inquérito contra o governador da Lombardia Attilio Fontana, do partido ultranacionalista Liga, devido a uma suposta irregularidade na nomeação de seu sócio em um escritório de advocacia, Luca Marsico, para um posto no governo regional.

Fontana, que está no cargo desde março de 2018 e governa uma das regiões mais ricas da Itália, teria proposto a seu gabinete a indicação do advogado como membro externo de um “núcleo de avaliação de investimentos públicos”, com salário de 11,5 mil euros por ano, segundo o jornal italiano Corriere della Sera.

Na última terça-feira (7), o Ministério Público de Milão havia informado que o governador rechaçara uma tentativa de corrupção por parte de Gioacchino Caianiello, ex-coordenador do partido conservador Força Itália (FI), de Silvio Berlusconi. 

Caianiello teria oferecido pagar a Marsico trabalhos de consultoria, em troca de colocar um aliado no comando do órgão responsável por trabalho e formação na Lombardia. Fontana, no entanto, já avaliava indicar seu sócio ao núcleo sobre investimentos públicos.   

“Falarei com quem devo falar, agora não direi nada, não tenho informações a respeito”, declarou o governador. Já o secretário federal da Liga, o ministro do Interior e vice-premier Matteo Salvini, disse que Fontana é alvo de “ataques vergonhosos”. 

O caso faz parte de uma investigação de corrupção que emitiu na última terça 43 mandados de prisão preventiva contra políticos, funcionários públicos e empresários na Lombardia.