A organização do Giro d’Italia, uma das provas mais tradicionais do ciclismo mundial, divulgou nesta quinta-feira (24) o percurso da edição de 2020 da competição, que começará em Budapeste, na Hungria, em 9 de maio, e terminará em Milão, no dia 31 do mesmo mês.   

O trajeto foi apresentado em Milão e, de acordo com os organizadores, a 103ª edição da competição terá 3.579,5 quilômetros de extensão e contará com 21 etapas. 

O Giro 2020 será o primeiro que terá uma etapa iniciada dentro de uma base militar. Rivolto, sede da Força Aérea italiana, situada em Údine, receberá a 15ª etapa da corrida. Além disso, essa será a 14ª vez que a competição começará em outro país.   

As três primeiras etapas serão na Hungria e o Giro chegará na Itália apenas no dia 12 de maio, na cidade de Monreale, na região da Sicília. Já o percurso entre Morbegno e Asti será a mais longa da próxima edição, com 251 quilômetros de extensão.

A cidade de Milão, por sua vez, voltará a receber o Giro d’Italia após três anos. Essa será 78ª vez que a capital da Lombardia sediará a etapa final da competição.   

“Estou muito satisfeito com o retorno do Giro d’Italia a Milão em 2020. Além de razões históricas, considerando que o primeiro Giro saiu e chegou em Milão, a competição é importante para o turismo, mas também porque em Milão, mais e mais pessoas estão andando de bicicleta, teremos que consertar as estradas e faremos”, declarou o prefeito de Milão, Giuseppe Sala. 

A edição de 2019 da competição começou em Bolonha e terminou em Verona. O dono da camisa rosa foi o equatoriano Richard Carapaz.   

Já em 2018, a polêmica edição do Giro teve início em Jerusalém, em Israel, e acabou na capital italiana. (com dados da Ansa)