Comunità Italiana

Festival de cinema italiano exibe filmes inéditos e clássicos de forma gratuita

Filmes inéditos no Brasil e mostra retrospectiva com 16 clássicos de diretores da Itália compõem a programação gratuita do 16º Festival de Cinema Italiano. A partir da próxima sexta-feira (5/11), a programação para o público será híbrida, com agenda on-line e sessões presenciais na sala Petra Belas Artes, na capital paulista.

A eclética programação vai da comédia ao drama, passando por romance e ação. A curadora Érica Bernardini destaca a presença da nova leva de cineastas e atores italianos obrigados a se desafiar para produzir durante a pandemia. Vários deles gravaram em apenas um set, com equipes reduzidas.

Érica lembra que a Itália sempre foi símbolo de tradição, por um lado, e inovação, por outro. O evento traduz isso. Será exibido, por exemplo, “Lovely boy”, de Francesco Lettieri, que deu ao diretor o prêmio de talento em ascensão no Festival de Veneza, em setembro deste ano. O mestre Federico Fellini comparece com o clássico “Os palhaços”, lançado em 1970, e Lina Wertmüller com “Mimi, o metalúrgico” (1972).

Também estrearam este ano em Veneza outras atrações da mostra, como “O grande silêncio”, de Alessandro Gassmann; “Welcome Venice”, de Andrea Segre; “Uma relação”, de Stefano Sardo; “Os nossos fantasmas”, de Alessandro Capitani; “Ar parado”, de Leonardo Di Costanzo; “Deixe-me partir”, de Stefano Mordinie; e “As coisas que restam”, documentário de Giorgio Verdelli.

Entre os inéditos está a coprodução ítalo-brasileira “Tempero do chef”, de Francesco Falaschi, que tem a gastronomia como plano de fundo. O longa aborda a relação entre um chef que cumpre serviços comunitários depois de ser preso e um rapaz portador da síndrome de Asperger. A dupla participa de uma competição culinária.

O público poderá conferir antigas produções que destacaram o cinema da Itália mundialmente – entre elas, “Era uma vez na América” (1984), de Sergio Leone, “Histórias do submundo” (1975), de Carlo Lizzani, e “O pássaro das plumas de cristal” (1970), de Dario Argento.

O festival também vai lembrar as belas trilhas sonoras compostas por Ennio Morricone, Nino Rota, Nicola Piovani, Ritz Ortolani, Andre Guerra, Valerio Vigilar e Piero Piccioni.

Os filmes inéditos disponíveis para streaming no site do festival são: “Como um gato na marginal”, “Todos por 1 – 1 por todos”, “Ela ainda fala comigo”, “O grande silêncio”, “Ar parado”, “Governança” e “Morrison Café”.

Já a programação da plataforma Petra Belas Artes à la carte reunirá “Deixe-me ir”, “A terra dos filhos”, “Blackout love”, “Com todo meu coração”, “Uma relação”, “As coisas que restam”, “Welcome Venice”, “Lovely boy”, “Os nossos fantasmas” e “Tempero do chef”. (com dados do EM)