A culinária italiana é de forma indefectível sinônimo de paixão, qualidade e sabor. Mas estas características determinantes para que as marcas da Itália se consolidassem como as mais apreciadas no planeta estão sendo seriamente usurpadas mundo afora, com a propagação do falso Made in Italy. O repórter Stefano Buda, nosso correspondente em Roma, obteve junto a autoridades e representantes de mercado locais um mapa desse descalabro e a resposta que ouviu deles é alarmante: a falsa comida italiana movimenta — ilegalmente, frise-se — cerca de 100 bilhões de euros e causa um prejuízo estratosférico de 50 bilhões de euros às exportações de produtos genuinamente Made in Italy. A missão de coibir este mercado ilegal é árdua e exige comprometimento de governos, importadores e, sobretudo, consumidores, que representam a peça fundamental no combate à pirataria.

Há também nesta edição uma ampla cobertura jornalística sobre as comemorações dos 73 anos da República Italiana em algumas das principais cidades brasileiras. No Rio de Janeiro, Comunità uniu-se ao Consulado da Itália e ao Comitê Olímpico Nacional Italiano para a realização do evento multicultural ItaliaNoRio, que mobilizou mais de mil pessoas. Em São Paulo, a festa pelo aniversário da República da Itália promoveu um banho de italianidade com o tricolor colorindo alguns dos principais prédios da capital paulista. A emoção não foi diferente em Belo Horizonte, Porto Alegre, Salvador, Brasília e Curitiba, que também vestiram o verde, o branco e o vermelho que tanto nos orgulha e comove.

Cinema também é pauta desta edição, com a estreia do filme O Traidor, do cineasta italiano Marco Bellocchio, apresentado durante a 72ª edição do Festival de Cannes. O roteiro narra a sinuosa trajetória do mafioso Tomasso “Don Masino” Buscetta, responsável por uma extensa delação que levou à cadeia vários outros mafiosos. No elenco, além do ator romano Pierfrancesco Favino, que interpreta Buscetta, a atriz Maria Fernanda Cândido, no papel da esposa brasileira de “Don Masino”. Na esteira do lançamento mundial de “O Traidor”, nossa reportagem conversou com o delegado aposentado da Polícia Federal Pedro Luiz Berwanger, que comandou, em 1983, a operação que prendeu Buscetta, em São Paulo.

Mas a nota triste no cinema foi a morte de Franco Zeffirelli, um florentino que engrandeceu a sétima arte, dirigindo produções épicas, como Jesus de Nazaré e uma maravilhosa adaptação de trilogia shakespeariana. Seu cinema é inegavelmente imortal.

Comunità traz ainda reportagem sobre a confirmação de uma agência consular da Itália em Vitória, no Espírito Santo, uma reivindicação que vem de longa data e que, enfim, foi atendida pelo governo italiano. São resultados como esse que mostram como é forte e significativa a comunidade ítalo-brasileira. Certamente virão muitos outros sinais positivos dessa aproximação da Itália com o Brasil. Comunità estará sempre atenta a esses desdobramentos.

Boa leitura!